quarta-feira, 5 de julho de 2017

Profissionais negras criaram produtora cultural (Tsika Cultural ) para combater o racismo e disputar espaços.

Rimas e Melodias

Onde estão as mulheres negras na produção cultural?
Profissionais negras criaram produtora cultural para combater o racismo e disputar espaços.

Em um momento onde discutir gênero, raça e classe é fundamental para criar novas narrativas e combater o machismo e o racismo institucional, a equipe da Tsika Cultural resolveu propor uma importante reflexão sobre a produção cultural preta no mês de comemoração da Mulher Negra Americana Latino e Caribenha.

“A Tsika Cultural surgiu em 2009 da necessidade de eu e mais três amigas em ter uma maior representatividade nas produções artísticas protagonizadas por mulheres pretas em São Paulo. A cidade costuma receber grandes eventos e a maioria é promovida por produtoras culturais que colocam poucas profissionais negras nos projetos, esta invisibilização restringe a atuação de muitas colegas de trabalho e essas, acabam por atuar muito mais nos ambientes periféricos e de pequeno porte, isso quando não precisamos de fomento cultural”, diz Jully Gabriel, integrante da Tsika que divide a direção com Lúcia Udemezue e Nina Vieira.

Para Tsika Cultural este é um assunto que precisa ser colocado em pauta, no mês onde se comemora o real dia das mulheres negras e se discute a desigualdade trabalhista que nos afeta mais que o restante da população. Ressaltar as grandes conquistas que a Tsika e outras produtoras com mulheres pretas a frente dos negócios é uma forma de dar visibilidade a essas importantes mulheres que o ano todo vem produzindo grandes ações e disputando espaços com produtoras culturais majoritariamente brancas e masculinas.


No mês de julho de 2017, a Tsika Cultural terá o prazer de produzir dois importantes shows em São Paulo. No dia 15, às 21h30, se apresentam no palco do Sesc Belenzinho o Grupo Rimas & Melodias, “Coletivo formado por manas que rimam e manas que cantam. Juntas desde 2015, Alt Niss, Drik Barbosa, Karol de Souza, Stefanie, Tássia Reis, Tatiana Bispo e DJ Mayra Maldjian promovem um diálogo potente entre rap, r&b e neo soul, com a proposta de desconstruir moldes e fortalecer a presença feminina, sobretudo a negra, no hip hop, na música, na sociedade”.
Já no dia 22, mesmo horário e no mesmo palco, é a vez de Luana Hansen entregar ao público um show com banda e convidadas renomadas desta nova realidade de artistas periféricas que têm enfrentado o sistema e estabelecido carreiras importantes dando voz a pautas e causas como é o caso de Preta Rara, Mama Lion e o Rap Plus Size.
Em meio às comemorações dessas duas importantes conquistas para a Tsika Cultural e para as artistas negras que compõem a grade, contamos com a surpresa de saber que mais uma produtora de mulheres negras trará pela primeira vez ao Brasil, a dupla nova-iorquina Oshun. A produtora Movimentar Produções Artísticas está à frente da turnê e para fazer jus ao mês da Mulher Negra Americana Latino e Caribenha e ao debate proposto pela Tsika Cultural contrataram somente mulheres negras para trabalhar nos eventos.
 
Luana Hansen

Serviço:

Produção: Tsika Cultural
Redes: @tsikacultural.
Assessoria de imprensa: blackindieassessoria@gmail.com

Eventos no Sesc:

Share this article

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top