sábado, 14 de outubro de 2017

Articulada, inteligente, confiante, criativa e direta. Deste jeito que a Emcee Nova Iorquina SIGNIF chega em suas rimas.

Hoje a MC indicada é a nova iorquina SIGNIF.

O quadro não tem um nome ainda, mas sempre em que eu achar interessante vou trazer uma MC fora do Brasil que eu ache que merece ser citada.
A primeira MC foi a Rapsody, a segunda é a Signif.

Por que resolvi falar sobre a Signif..? porque conheci o trampo dela na mesma época em que conheci a Rapsody, acho que o da Signif foi primeiro.

Conheci o trampo da Signif em 2010, quando a própria Mc me mandou um email falando sobre seu mais novo clipe chamado "Drifting". Sim o NP recebe email de fora do Brasil.
Eu fiquei apaixonado pelo trampo da Signif, desde então passei a acompanhar o trampo dela, e ela passou a manter contado conosco até meados de 2013, seu ultimo album, ep ou mixtape foi em 2014.



Num meio dominado por homens, que em muitas vezes vê as mulheres usando sua sexualidade para fazer nome dentro do rap, a Signif é uma Emcee bem diferente disto, a Signif fez seu nome na cena através do seu excepcional talento em rimar e por optar canalizar sua arte com canções de Hip Hop, em vez de seguir o "Hype" que envolve aquele esteriótipo "classico" de MC que hiper-sensualiza seu corpo. Longe de mim julgar, mas a Signif sempre se preocupou com rimar.

Observação: Quando um americano usa o termo Hip Hop como musica, ele fala do rap com conteúdo e mensagem.


Os sons mais foda da Signif não estão no Youtube, inclusive a Mc não lança nada de novo em seu perfil oficial no Bandcamp desde 2014.

Montei uma playlist com 10 musicas da Signif que estão no Youtube. Mas no final da postagem vou deixar o link da BandCamp da Signif, la você pode ouvir tudo online e de graça.


Sobre a Signif:

Residente de Nova York, nascida e criada em Milwaukee, Wisconsin, teve sua ligação com o Hip-Hop por influência de seus irmãos mais velhos. Aos 8 anos, seu amor pela música foi explorado através da expressão escrita e suas reflexões poéticas progrediram para uma participação ativa no Freestyling.


Com a poesia e o Freestyling sob seu cinto, ela logo levou ao desenvolvimento de músicas que levaram a seis projetos gravados. Começando em 2009 com Beautifully Flawed, um EP que a apresentaria ao jogo como um artista viável, seguido de The Transition em 2010, quando as pessoas realmente começaram a tomar conhecimento e a reconheceram como alguém que poderia adicionar algo de novo ao panorama do Hip-Hop. Ajudando a manter na cena em 2010, ela lançou um projeto de remix, bem como vários vídeos musicais limpos e nítidos produzidos pela Alphabang Productions. Em 2011 e 2012, a Signif juntou-se ao produtor Gee Wiz para lançar o Significant Wizdom e o Wizdom II: Atypical, respectivamente. Em 2013 a Signif abriu shows para Jean Grae e Pharoahe Monch. 
Após voltar de uma turnê na França a Mc começou a trabalhar no seu sétimo projeto solo chamado "Friction"

Além de projetos solo, a Signif pode ser ouvida como artista convidada em uma variedade de outras obras musicais, como álbuns, mixtapes, EPs e uma trilha sonora de Filme.

Quando você ouve Signif, você ouve uma jovem mulher articulada, inteligente, confiante, criativa e direta. Ela não é uma tendência. Ela não é uma moda. Simples e simples, Signif é Hip-Hop. Ela é o futuro em forma de arte que tão desesperadamente precisa de mais artistas que se dedicam a elevar-se acima de um status quo que, infelizmente, defende a regressão cultural em vez do poder da iluminação.

Clicando nas imagens você vai direto para audição do álbum.





  • Friction







  • You're Beautiful






  • The L Word (LikeLustLove)

  • Late Night Jazz







  • Significant Wizdom II: Atypical






  • Embracing Rejection

  • Significant Wizdom







  • The Transition







  • Beautifully Flawed EP
  • Share this article

    0 comentários:

    Postar um comentário

     
    Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
    Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
    back to top