quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Sarau Verso em Versos completa 5 anos no escadão que é polo de cultura na periferia da ZS de São Paulo



O evento é uma oportunidade para fugir do circuito de museus e centros culturais e conhecer de perto a rica produção artística das quebradas

            Os saraus artísticos que hoje se alastram nas periferias de São Paulo e de todo o Brasil fazem parte de um movimento que não é tão recente. No bairro do Jardim Monte Azul, na Zona Sul paulistana, o Sarau Versos em Versos comemora cinco anos de encontros mensais poéticos. Ao longo das 60 apresentações, talentos foram revelados e a comunidade passou a criar, produzir e lançar seus próprios livros, músicas, vídeos, clipes e protagonizar todo tipo de performance artística.
            O local, ignorado pelo circuito cultural, hoje é um polo de produção de arte. Uma amostra deste rico repertório poderá ser vista na próxima sexta-feira (20/10), a partir das 19 horas. A celebração será realizada no escadão cultural que durante o dia serve de passagem para ruas com escolas e nesta noite será o palco da quebrada.
            O evento vai contar com apresentações de artistas locais como a poetisa Aline Anaya, que em seus versos questiona visceralmente temas como o machismo e o racismo, e o professor de português Isac Andrade, que traz assuntos da atualidade em cordel. “O Versos em Versos é uma vivência, sempre com surpresa e partilha livre de conhecimentos e criações”, explica Jaime Diko Lopes, um dos membros do coletivo.
            De previsto, está a apresentação musical do cantor e compositor James Bantu que, com voz e violão, traduz com sensibilidade sua ancestralidade afro. A jazzista Izzy Gordon, cantora consagrada entre os grandes nomes da bossa nova, fará participação especial. A presença do músico Salloma Salomão, historiador que se associou a outros produtores da Zona Sul para lançar artistas independentes, vai reforçar a tese de que a região é um seleiro musical.
            A produção periférica ainda estará contemplada em livros; com o lançamento de “Motumba”, da escritora Mayana Vieira, com poesia voltada para a visibilidade de questões de sua condição de mulher negra e lésbica, e nos versos de “Dente de Leão” de autoria do poeta e ator Andrio Candido. Para completar o panorama artístico, haverá mostra fotográfica e até exposição-viva de pinturas corporais da arte de Ori, usada em festividades africanas.
            Em harmonia com os conceitos de economia solidária – cuja produção, distribuição e consumo de riquezas são pautados na valorização das pessoas – o sarau Verso em Versos promoverá venda de produtos produzidos na quebrada. Além de camisetas dos coletivos da área, estarão por lá os famosos pastéis da tia Nice, com  caprichados recheios de banana com canela e goiabada com queijo. As confeiteiras itinerantes da marca Dún Ayaba também prometem resgatar memórias afetivas com bolo de banana, arroz-doce ou pão-de-mel com o tempero das nossas avós. Para brindar, Drink Poesia com ingredientes orgânicos e inspiração de poetas marginais.
            “Nossa celebração foi inspirada nos saraus mais antigos, na velha-guarda que representa os guardiães do saberes; nossos griôs de quebrada”, conta Diko, em referência à tradição oral dos contadores de histórias da África. “Diante deles somos erês urbanos; aprendizes de todos os saraus que acontecem nas periferias do Brasil. Nos orgulhamos de o Verso em Versos fazer parte desse circuito que se multiplica a todo momento em becos e vielas. É uma ponte que atravessa o rio.”  




SERVIÇO: 5 anos do Sarau Verso em Versos

Sexta-feira, 20 de outubro, a partir das 19h
Onde: Escadão Cultural do Jardim Monte Azul (Zona Sul) –
Rua Domingos Marques, s/n (a 800 metros da estação do metrô Giovanni Gronchi, próximo à Escola Estadual Professor Renato Braga)

Share this article

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Noticiário Periférico • All Rights Reserved.
Template Design by BTDesigner • Powered by Blogger
back to top