terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Rincon Sapiência lança o clipe "Afro Rep"


No dia 26 de dezembro, Rincon Sapiência promete surpreender mais uma vez a cena do rap brasileiro com o lançamento do videoclipe e do single “Afro Rep”. Exatamente um ano após soltar o hit “Ponta de Lança (Verso Livre)”, o Mc fecha 2017 fazendo aquilo que sabe melhor: cantar a diversidade e botar todo mundo pra dançar. Ao som de uma batucada africana frenética, misturada a elementos do trap, a faixa tem uma pegada moderna, que coroa o clima de celebração e de luta dos versos. A combinação foi justamente inspirada no subgênero Afro Trap, que despertou a atenção do Mc em suas recentes andanças por Paris.

Na letra, Rincon dá uma rasteira na crise através da sua já consagrada leitura apurada da conjuntura política, racial e social do país, abalada pela crescente perda de direitos, o aumento da intolerância e escândalos políticos que marcaram um ano conturbado. O clipe foi gravado no Matraca, um popular centro esportivo da Cohab 1, lugar de origem do Mc. Dirigido pela dupla Rafael Jacinto e João Khel, contou com fotografia de Tomás Viola, trio que optou pela câmera Alexa Mini com lentes anamórficas para trazer uma linguagem cinematográfica às cenas.

ASSISTA:


A filmagem, feita em plano sequência, ajuda a criar um diálogo com a própria música, um verso livre e com cadência mais solta. Nessa pegada, Manicongo e o belo casting de amigos e convidados revelam sua ginga tirando onda num passeio dançante pelo lugar. No caminho, a simplicidade das cenas e o passinho divertido convidam todo mundo a cruzar os braços nos ombros e quadris, coroadas pela diversidade de cores, padrões e formas dos corpos, cabelos e roupas, que exaltam a essência africana do trabalho do Mc. A música, que se revela capaz de embalar as pistas, chega nas plataformas de streaming no dia 26 de dezembro e promete ser um dos hits do verão brasileiro.

O lançamento encerra o ano mais importante da carreira de Rincon Sapiência, conhecido também como Manicongo. Eleito o Artista do Ano pela APCA - Associação Paulista de Críticos de Artes, o rapper foi o maior destaque do gênero no cenário musical brasileiro. Seu álbum de estreia “Galanga Livre” rendeu ao Mc e beatmaker três troféus do Prêmio Multishow 2017 nas categorias "Artista Revelação", "Melhor Produção" e "Melhor Capa", liderando as indicações do Superjúri ao lado de Chico Buarque, além de figurar na lista da APCA entre os 25 melhores álbuns nacionais.


Assim, com o lançamento de “Afro Rep”, Rincon confirma sua trajetória como um dos artistas mais talentosos do país, apto a congregar os mais diversos públicos em torno da sua originalidade artística e estética, que mistura raízes africana e influências contemporâneas. A essência dessa originalidade, criadora de uma vertente inovadora na cena, é expressa em seu trabalho através da poesia ácida, da musicalidade envolvente e da liberdade dos corpos em movimento, resumidos em mais um verso livre poderoso.

FICHA TÉCNICA - VIDEOCLIPE

Produção Executiva: Agência Dabba
Produtora: Deborah Lindau/ Fluture
Direção: Rafael Jacinto e João Kehl
Assistente de Direção: Ana Beatriz Costa
Direção de Fotografia: Tomaz Viola
Produção de Elenco: Mari Bergel
Figurino: Ana Wainer
1º Assistente de Camera: André de Oliveira Alves
2º Assistente de Camera: Paulo Vinícius Rodrigues da SIlva
Eletricista: André Bortolato Alves
Assistente de Figurino: Gabrielle Laragnoit
Camareira: Jô Alcântara
Maquiagem: Monalisa Ribeiro
Grading: Carol Lopes
Pós-Produção: Outra Post
Apoio: Converse

Casting:
Ali Senegal
Aline Laurinda @alinelaurinda
Beatrice Oliveira @Biabless
Beto Cruz @betocruzmc
Cafuris @cafuris
Dandara Pagu @dandarapagu
Dandara Silva
DiKampana @dikampana
Dudu Afrobrasileiro @duduafrobrasileiro
Gustavo Tristão
Iara Jalia
Icaro Pill @ icaro_ibarato
Isa Cruz @gzebel
Isabela Calmon
Janaina D’Notria @janainad'notria
Jay Viegas @jayviegas
Juliana @juliana.sete
Kel J
Kelen Lima @kelen.lima
Khoissam
Kiko de Sousa @kiko.desouza
Kunta Kinte @takuntekin
Lil Africa
Maurilio Santiago @pe_beat
Melissa @badbadhoney_
Nathalia Calmon @calmonat
Nicolas Carneiro @nicolasgbcarneiro
Patricia @patytreze
Paulinho in Fluxus_ @Fluxus__
Paulo Cavalcante
Peterson Nago @pretonago
Prince Tanda @flaitanda
Renan de Souza
RG do QI @rgdoqi
Robson Heloyn @robson.heloyn
Stefanie Roberta @_stefanie_roberta
Stella Yeshua @stella.yeshua
Suelen Ingrid
Suelen Ingrid  @srta.suzy
Tassia Reis @tassiareis_
Tatiana Lisbon
Thamires @cordnunes
Thiago - MC Zero Onze @mczeroonze


+Galanga Livre
Tido como um dos destaques do ano no cenário musical brasileiro, o álbum “Galanga Livre” rendeu a Rincon Sapiência três troféus do Prêmio Multishow 2017 nas categorias "Artista Revelação", "Melhor Produção" e "Melhor Capa", liderando as indicações do Superjúri ao lado de Chico Buarque, além de figurar na lista da APCA entre os 25 melhores álbuns nacionais do primeiro semestre. Aprimorando a originalidade de suas composições, já marcadas por influências do rock e das músicas africana, eletrônica e jamaicana, no novo disco o rapper revela maturidade poética e musical em 11 faixas e mais duas bônus tracks.

A notória negritude que distingue o trabalho de estreia do Mc paulistano se faz sentir nos ritmos, que vão desde a capoeira até o blues, passando pelo coco e pela tropicália, até o afrobeat, permeadas pela sua veia rock and roll característica. Atestando o seu talento como produtor, as músicas foram todas produzidas pelo próprio rapper, com exceção de “Amores às Escuras” (Gambia Beats).

O álbum contou com a coprodução musical, mixagem, e direção do experiente William Magalhães (Banda Black Rio), união que conferiu o equilíbrio entre a ancestralidade e o moderno. Mixado por Arthur Joly (Reco-Master) “Galanga Livre” exalta sonoridades das raízes africanas, combinadas com letras que abordam a consciência e a valorização da afrodescendência no Brasil contemporâneo. Lançado pelo selo Boia Fria Produções, o conjunto da obra rendeu as bênçãos de três grandes referências de Rincon Sapiência, os rappers Xis, Mano Brown e Black Alien. Os elogios dos veteranos estão registrados no belo encarte que acompanha a versão física do álbum, que desde o lançamento tem sido aprovado pelo público e pela crítica especializada.

Atestando o porquê do seu vulgo Manicongo, no disco o “Senhor do Congo” da Zona Leste de São Paulo cria a sua narrativa sobre o crescente empoderamento dos pretos e pretas no Brasil. A história se desenvolve a partir da saga de liberdade do escravo Galanga, personagem de um conto fictício criado por Danilo Albert Ambrósio, o cidadão do mundo que vive por trás de Rincon Sapiência. Após sua fuga, Galanga passa pela quebra das antigas correntes que prendiam o ex-escravo, que agora liberto se aventura pelas ruas da cidade grande, numa mistura de ficção e da cruel realidade rotineira dos grandes centros urbanos. No caminho, as músicas são a trilha sonora do relato sobre as armadilhas da opressão secular que se impõe ao povo preto e as vias conscientizadoras para se escapar dela. Transitando entre uma África onde viveram reis e rainhas e a África diaspórica futurista que hoje ocupa as metrópoles, Galanga desfila livre e imponente o orgulho de suas origens através da afirmação política e da estética preta.

O resultado é uma sequência de afro raps intensos, que alternam na medida doses de um discurso cortante sobre a autoafirmação dos afro-brasileiros com baladas mais sutis sobre temas cotidianos que, ainda assim, conservam um olhar crítico. Tudo isso é balanceado pela habilidade nata de Rincon Sapiência em jogar com as palavras e por sua notável fome de rima, que o consagraram como um dos Mc's mais talentosos do rap nacional. No álbum “Galanga Livre” sente-se a força da versatilidade do rapper, revelada pela total imersão no processo criativo de suas músicas desde a ideia inicial até o produto final. Assim, o disco sinaliza a evolução de suas produções independentes, expondo como Rincon tem escurecido o seu verso e a sua música através de uma postura de afrontamento no debate da identidade preta na atualidade.