quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Assista "As Ruas Querem", o novo clipe do Raonir Braz



A direção, filmagem, edição e pós edição são de Marcelo Ferreira, da Produtora Primitive XXI Records. As imagens 
de Drone do  Max Adami.
Produção e mixagem realizada por R.Braz, masterização de RLLXXbeats, da L.I.F Music.

No dia que eu estava compondo a letra de as ruas, coincidentemente era aniversário de um amigo que faleceu devido a violência da cidade. 
Esse amigo era José, um grande companheiro desde a infância. Praticávamos arte marcial juntos e a proximidade de nossas casas fez com que tivéssemos
 um laço quase de irmãos. 

José e sua família sairam do interior para a cidade grande - Salvador - em busca de melhoria de vida;
desde sempre correu atrás de seus objetivos, suou para comprar sua moto e trabalhar de moto-táxi; 
mas,  infelizmente, foi morto em uma emboscada fruto de um ex-namorado ciumento de sua então companheira, 
que vivia com ele um relacionamento feliz e saudável.

"As Ruas Querem" retrata um lado da “rua”, que ao mesmo tempo que te chama de irmão ou irmã, também te faz alvo;
 é sobre o sentimento de não querer ver o outro bem. No meu caso falo sobre o José; 
sobre a falta de reconhecer o outro negro como igual; são sentimentos que se confundem sobre insegurança, 
racismo e a selva que é a Salvador, vista por mim como Selvador.

O público ao ouvir 'As Ruas Querem', serão outros sentimentos e lembranças despertados, outras indignações e outros rostos de 'Josés'.

Raonir Braz, integra e é um dos fundadores do selo baiano L.I.F Music. 
Seu últimos trabalhos incluem a música "Eu Sei" com produção conjunta com Mazili e na participação e 
produção de "100 placas" do Matuê, rapper de Fortaleza.

Ouça: 



LETRA : 
REFRÃO

As ruas querem que meus irmãos se ferrem

As ruas querem que minhas irmãs se ferrem

Elas querem, elas querem

VERSO01

O recado ecoa em vários cantos dessa cidade

O disparo ecoa em vários cantos dessa cidade

Ninguém perdoa quem vive contando vantagem

Me mandaram mensagem

Ôh meu mano José, eu sei que onde você estiver

Estará iluminando os caminhos por todos aqueles amigos de fé

Fé, fé, fé, fé

Fortalecendo outro salve de fé 

A fera ferida ainda tá de pé

A fera ferida ainda tá de pé

E que um dia seja diferente

Selvador não é por nossa gente

Mas por enquanto o que vier a frente

Mantenho a cabeça fria quando a chapa fica quente

REFRÃO

As ruas querem que meus irmãos se ferrem

As ruas querem que minhas irmãs se ferrem

Elas querem, elas querem

VERSO02

É tanta revolta man
O mundo dá voltas man

Ninguém entende o que aconteceu

Olhe em sua volta man
Teve um viravolta man

E ainda vem dizer que o motivo foi meu? 

O sangue nos olhos refletem o vermelho das mãos

A cor da minha pele interfere, sou culpado ou não

E enquanto isso for questão de julgamento em vão

Mataremos todos os nossos sonhos em vão

PONTE

Várias queixas
Pega a visão quem quer, 
pega a visão quem quer

REFRÃO

As ruas querem que meus irmãos se ferrem

As ruas querem que minhas irmãs se ferrem

Elas querem, elas querem