sexta-feira, 30 de março de 2018

Jean Grae & Quelle Chris lançam o álbum "Everything's Fine"


Quando você ouve a frase "está tudo bem", imediatamente entendemos como uma abreviação emocional. Na vida cotidiana, dependemos desses clichês superficiais (esperamos que tudo esteja bem, bom ouvir de você, etc.) para nos pouparmos do desdobramento psicológico que a verdade exige. Para isso, temos a arte. Para isso, Everything's Fine, de Jean Grae e Quelle Chris, uma odisseia irregular e amarga que brilhantemente fala desse espantoso e distinto zeitgeist.

Lançado pela Mello Music Group, este álbum substitui esse clichê reflexivo por tangentes honestas e eloquentes. É específico e sutil em sua execução, alcançando o equilíbrio entre desvios sem sentido para cheirar as flores e o reconhecimento frenético de que há um inferno lá fora.

VIDEO:


É raro encontrar um registro em que dois rappers são tão interligados. Sim, isso é parcialmente um subproduto do trabalho em equipe que acontece em qualquer relacionamento normal em que você acorda, dorme e sonha em conjunto. Mas o álbum também traz as marcas de dois singulares gênios criativos trocando barras, colaborando em batidas e combinando diversão com terapia interna e observações externas. Apresenta aparições indeléveis da Dinamarca Vessey, vencedor do Grammy Anna Wise, Seu Velho Droog e Big Tone, assim como os quadrinhos Ashok “Dap” Kondabolu, John Hodgman, Michael Che, Nick Offerman e Hannibal Burress.

Na era do streaming, tendemos a ignorar naturalmente os álbuns que exigem várias audições. Este é um disco que vai te pegar na primeira audição, mas a grandeza só se revela através de sua construção cuidadosa, jogo de palavras e alusões esotéricas. É espontâneo e gratuito, mas refinado e meticuloso. Mesmo que tudo seja abjeto, é um lembrete de que a música pode transcender.


Ouça: