segunda-feira, 19 de março de 2018

Negros e Alvos no Aparelha Luzia


Aparelha Luzia recebe artista da Brasilândia, Monahyr Campos, para o show de divulgação do livro: “Negros e Alvos: a exceção não pode servir para exemplo”.

Magia negra.

Uma apresentação musical criada para valorizar a cultura afro brasileira precisa e deve ser realizada em um espaço que promova a autoestima e a consciência dos negros.

Negros e Alvos será exibido na próxima sexta-feira, dia 23 de março, no Aparelha Luzia.

Aparelha Luzia é um quilombo urbano, espaço de resistência, lá a sociabilidade e liberdade permitem o pleno exercício da afetividade. É muito amor envolvido para receber Negros e Alvos, espetáculo musical idealizado e interpretado por Monahyr Campos, compositor, instrumentista e escritor.

Uma mulher negra, trans e nordestina, poderia ser uma das tantas personagens criadas por Monahyr Campos em seus textos, mas nesse caso é Erika Malunguinho, a mentora do espaço negroafirmativo sediado na região dos Campos Elísios.

O que esperar desse diálogo cultural e político? Enfrentamento ao racismo, à homofobia e a qualquer injustiça - através da arte, música e poesia.

Como uma roda de capoeira, lúdica, que enfrenta, resiste, mas ginga e ri. Abre a roda para dançar.

Negros e Alvos: a exceção não pode servir para exemplo


Aparelha Luzia recebe Monahyr Campos E Labaredas para o show de divulgação do livro: “Negros e Alvos: a exceção não pode servir para exemplo”.


Espetáculo musical no qual as sonoridades da herança africana mesclam-se às novas experiências da MPB e Rap/Música eletrônica. O solo de dança convida a plateia a entrar na roda. Durante o show são realizadas intervenções com histórias e reflexões sobre a realidade do negro no Brasil.
Monahyr Campos é autor do livro Negros e Alvos – “A exceção não pode servir para exemplo”, colunista da Rádio Baruk com o programa Podcast Literários, autor de trilhas sonoras, além de letras para canções populares. Compositor, instrumentista, escritor e professor.


É marca peculiar de seu trabalho temas sociais e o combate a quaisquer formas de discriminação. A música tradicional brasileira de inspiração afro é característica presente em suas composições musicais. Na literatura os temas universais misturam-se com à forte presença de questões de gênero e do feminino.



Informações do Espetáculo: Negros e Alvos: a exceção não pode servir para exemplo

https://goo.gl/Ezs893

Dia: 23/03/2018 – sexta feira

Horário: 20h

Indicação: livre

Evento gratuito

Aparelha Luzia

Rua Apa, 78 – Campos Elísios, São Paulo/SP