segunda-feira, 21 de maio de 2018

Perus recebe projeto de empoderamento feminino através no samba de bumbo


Atividade realizada no Centro de Cidadania da Mulher de Perus terá oficina de quadrinhas, exibição do documentário “Esse Bumbo é Meu”, bate-papo e apresentação do Samba de Bumbo de Dandara
 Neste sábado, dia 26 de maio, das 14h às 17h, no CCM Perus, acontece as atividades do “Faz a roda grande mulher”, projeto contemplado pelo edital Proac de promoção proteção das culturas negras, que circula pelos Centros de Cidadania da Mulher com o objetivo de compartilhar a história de empoderamento da mulher negra no samba de bumbo.
A atividade conta com exibição do curta-documentário “Esse Bumbo é Meu”, seguida de bate-papo sobre o papel da mulher na manifestação cultural e a apropriação dos instrumentos, tradicionalmente de posse masculina, como relevou Mário de Andrade em ensaio escrito em 1933: “as mulheres nunca tocam. Os homens, pelo contrário, todos tocam”. Na sequência, o grupo Samba de Bumbo de Dandara realizará uma oficina de quadrinhas, a partir da reflexão sobre a mulher e técnicas do teatro do oprimido. O resultado final serão quadrinhas produzidas pelas participantes e uma apresentação do grupo.
A cada mês, o projeto será desenvolvido em uma unidade diferente do CCM. Na edição realizada no CCM Parelheiros, a participante Jana da Silva, oficineira de dança, relatou que a experiência foi muito comovente. “Eu senti que tocar os instrumentos foi algo que resgatou as influências da minha origem africana, como brasileira e descente desse povo”, afirma. “Aqui em Parelheiros, a função da mulher é cuidar da casa e dos filhos, elas não têm o direito de sair, mas agora elas estão começando a se empoderar e essa atividade é uma oportunidade para conscientizar as mulheres como protagonistas de suas vidas”, completa.
Na atividade realizada em março, no CCM Itaquera, as participantes criaram a quadrinha: “Eu sei que posso / Ser livre sim / Seguir meu sonho / Ser forte assim”. Grace, 36 anos, participante da oficina revelou que esse foi um dia que vai ficar marcado na lembrança. “A mulher negra precisa mostrar o que ela faz e ser valorizada”, afirmou.
Grupo Samba de Bumbo de Dandara
O grupo Samba de Bumbo de Dandara surgiu no Carnaval de 2016, com o objetivo de empoderar as mulheres a partir dos instrumentos musicais do samba de bumbo. Tradicionalmente, na manifestação popular, os homens tocam e as mulheres dançam, nas apresentações do grupo Dandara, os papeis são invertidos e as mulheres tocam, questionando assim a divisão de gênero no samba rural paulista. São integrantes do grupo: a atriz, bailarina e arquiteta Irla Costa, a atriz e estudante Lucia Steves e a técnica em enfermagem Luciana Fernandes, também integrante e descendente direta do grupo “Treze de Maio”, fundado por negros recém libertos em 13 de maio de 1888.
Documentário “Esse Bumbo é meu” (2016)
O filme registra o samba de bumbo, expressão musical tradicional da região metropolitana, interior paulista e herança do tempo da escravidão. O documentário apresenta a luta das mulheres do samba para manterem viva a cultura de seus ancestrais, enfrentando preconceitos e conflitos com a política local. Soluções se apresentam, mas afinal, de quem é esse bumbo? Direção: Ruy Reis, Paula Simões, Dagmar Serpa, Marina Chekmysheva e Daniel Mirolli Elenco: Carmelino Euzebio de Jesus, Eni Soares de Sousa, Irla Costa, Lucia Steves, Luciana Oliveira de Jesus Fernandes, Luisa Camargo de Jesus.

Sobre CCMs
Os Centros de Cidadania da Mulher são espaços de qualificação e formação em cidadania, nos quais mulheres de diferentes idades, raças e crenças podem se organizar e defender seus direitos sociais, econômicos e culturais, além de propor e participar de ações e projetos que estimulam a implementação de políticas de igualdade com o objetivo de potencializar, por meio do controle social, os serviços públicos existentes para atender às suas necessidades e de sua comunidade.

Serviço
Data: 26 de maio (sábado)
Local: Rua Joaquim Antônio Arruda, 74 - Perus
Contato: 3917-7890 / 3917-5955
Gratuito
Público: Mulheres de todas as idades
Próximas datas:
16 e 23 de junho, das 14h as 17h
CCM Capela do Socorro
R. Prof. Oscar Barreto Filho, 350 – Grajaú

7 e 14 de julho, das 14h as 17h
CCM Santo Amaro
Praça Salim Farrah Maluf s/n