sexta-feira, 11 de maio de 2018

Rapper Billy Saga conta sua história de 20 anos no cenário do rap nacional em seu novo clipe.


O novo audiovisual permite ao espectador uma imersão e vivência de transitar em uma cadeira de rodas em pleno cartão postal do epicentro comercial do país.
O roteiro, escrito pelo próprio rapper, contou com a direção e execução de um dos maiores especialistas na área - Fabio Nunes 360 atua neste campo há mais de sete anos. A montagem ficou nas mãos talentosas de Sabrina Wilkins, AMC (Associação dos Montadores de Cinema)  e color grading por Julia Bisilliat. Mais uma vez, como é de praxe nos trabalhos de Saga, um time de peso envolvido no projeto.
Segundo Saga, o grande desafio foi invadir a Avenida Paulista e executar a interpretação da música sem perder o foco nos riscos envolvidos no processo. Além disso, a técnica de captação não requer um enquadramento, mas sim ter uma visão global do espaço e, dessa forma, o espectador pode rodar a ‘câmera’ como bem entender e seguir o que se passa nos vários pontos do cenário. Isso faz do espectador o protagonista do roteiro, no corpo do intérprete.
O áudio foi capturado separadamente por microfones e emissores do instrumental da música, estrategicamente acoplados à cadeira de rodas de Saga.
O público do rap está cada vez mais exigente e é importante dar novas formas de acesso a conteúdos para um público constantemente bombardeado pela tecnologia. O rap nacional, em muitos aspectos, tem estado à frente do cenário estrangeiro no que diz respeito à produção, execução e conteúdo.
Billy Saga acredita que inovações deste tipo farão a diferença na forma de mostrar o seu trabalho. Não é só a perspectiva que muda, mas tudo o que pode contar com esta visão do espaço em 360 graus. Ter vários pontos de vista da cena ao mesmo tempo é um desafio que vai dar aos espectadores uma visão bem pessoal da proposta apresentada. Cada um assiste como quer. São várias histórias no mesmo plano, e levá-los a ver e rever a experiência para descobrir na totalidade o que ali se passa é o grande diferencial.
“É uma nova forma de enriquecer a experiência e ampliar o leque de fruição da minha arte. Depois da revolução das action cams, os vídeos 360 são a nova forma de ver o mundo. Se queremos mostrar um local, uma ação, por que não mostrar tudo ao redor e dar a quem vê a possibilidade de escolher para onde quer olhar?”, comenta Saga. 

Assista: