sábado, 4 de agosto de 2018

NOSSO CAOS - Caos do Subúrbio e a força política da música.


Os últimos anos foram cruciais para diversas discussões referentes a questões políticas e sócias. O brasileiro explodiu de ideias e principalmente na internet com muitos discursos que evidenciam as distâncias extremas entre grupos com os mais distintos sensos de como deve ser o país.

A música sempre ocupou na história um local ideológico, seja para completa alienação ou como instrumento de conscientização. Nesse sentido, a música rap cumpriu e muito, principalmente na década de 90, uma força para o engajamento de jovens periféricos na cidade de São Paulo (aliás no mundo esse ritmo estava invadindo) e também para com as vozes antes não ouvidas sobre questões raciais, de pobreza e da vivência diárias nas comunidades.

Com essas ideias surgiu o grupo Caos do Subúrbio, oriundos da região oeste de São Paulo o grupo que já possui uma década de trabalho e esteve presente em importantes eventos dentro da música e de lutas sociais, apresenta seu novo trabalho de maneira a discutir o próprio propósito da música rap para seu público.

Sei que o corre cansa, então volte pra si, o inimigo interno ainda é o maioral. E na gozolândia não se aprende nada, fi. Pra evoluir decifre o seu próprio caos. (Trecho da música – Nosso Caos)

A primeira faixa apresentada pelo grupo com título de “Nosso Caos”, traz à tona um coletivo que ao alcançar a maturidade em suas questões do cotidiano, tanto da vida como com a relação entre cidade as metas e frustrações nesse tempo de projeto com a música, desenvolveu a responsabilidade de contribuir para que o rap seja uma música forte e popular comercialmente, mas que também tenha seu compromisso histórico com uma base crítica e de transformações sociais.