sexta-feira, 17 de agosto de 2018

O carioca Felipe Ret lança “Audaz” , álbum que conclui a trilogia de álbuns do rapper


Após muita expectativa e mistério, Filipe Ret completa, nesta sexta-feira (17/08), uma trilogia. Após os álbuns “Vivaz” (2012) e “Revel” (2015), o rapper carioca apresenta “Audaz”, que traz 13 faixas. Sem perder sua identidade, Ret se inspira em grandes nomes do hip-hop internacional e traz ainda referências do samba e do funk em seu novo trabalho, que tem produção musical do próprio rapper ao lado de Dallass e Mãolee. O álbum, que sai pela Som Livre e Tudubom Records, traz participações de Marcelo D2, Flora Matos, MC Deise, BK’ e TH e já está disponível em todas as plataformas de música – ouça aqui.

Apontado como o álbum mais ambicioso da carreira, “Audaz” marca um novo momento de Filipe Ret, que vive uma nova fase na vida pessoal. Casado e pai de Theo, de um ano, o rapper carioca se sente mais maduro. “Conhecer a Anna Estrella, minha atual mulher, mudou minha vida. Sem ela, provavelmente, esse disco não existiria e talvez eu nem estivesse mais vivo. Mas minha experiência mais transformadora foi ter virado pai. Hoje eu enxergo tudo melhor, foi como se minha visão mudasse de 3D para 4D. E continua mudando... Sinto que meu coração evoluiu e esse novo trabalho representa um Filipe Ret com menos medos e inseguranças, mais coletivo, mais integrado com a realidade do povo”, conta o carioca.

Ret entrou em estúdio há pouco mais de um ano, quando soube que ia ser pai, e suas influências neste novo trabalho passam pelo jazz, reggae, ragga e até mesmo o funk proibidão dos anos 90 e o trap de hoje. “’Audaz’ foi desenvolvido na melhor fase da Tudubom, com a equipe do estúdio muito motivada. Diferentemente dos discos anteriores, pela primeira vez, eu produzi mais musicalmente o disco junto com meu time pesado de beatmakers, em especial Mãolee e Dallass”, diz o rapper.

Antes deste lançamento, Ret já havia apresentado ao público 4 das 13 faixas de “Audaz”. A primeira delas foi “Vivendo Avançado”, com a participação de BK’ e TH, que soma 45 milhões de visualizações no YouTube, com tendências de tons de trap sobre o rap atual e unindo a cultura do MC do rap com a cultura do MC tipicamente carioca, a do funk. “A Libertina”, um sucesso nas rádios, mistura música latina, ragga e dancehall às rimas e possui mais de 4,7 milhões de streams no Spotify e 12 milhões em seu clipe.

Depois foi a vez da romântica “Louco Pra Voltar”, que fez em homenagem à sua mulher. O vídeo da música, em formato de selfie, registra a tela do celular do cantor durante um dia inteiro e soma mais de 9 milhões de views. Na última segunda-feira (13/08), o carioca revelou a faixa Santo Forte”, que veio acompanhada de um clipe com personagens reais, que foi visualizado mais de 1 milhão de vezes em menos de 48h e chegou a ficar em #1 nos vídeos em alta no YouTube. “O clipe saiu depois do domingo de Dias dos Pais e eu mostrei meu filho publicamente pela primeira vez, foi especial. Minha mulher também trabalhou muito nesse clipe. Foi uma experiência humana muito positiva pra mim durante todo processo de criação”, conta.

Além das faixas já citadas, Filipe Ret apresenta mais nove novidades e algumas trazem colaborações. “Escolhi pessoas que eu conhecia e admirava, não foi difícil. Flora, D2 e BK do rap e Deise e TH da raiz do funk carioca. Gostei de dividir músicas com eles e quero fazer mais daqui pra frente. Eu admiro o trabalho de muita gente”, diz. Marcelo D2 participa de “Maconha”, que foi uma parceria que saiu quase que naturalmente. “Brinco que foi a música feita mais rápida no mundo. Quando Dallass me mostrou a batida o refrão saiu imediatamente, escrevi minha parte na hora, mandei pro Marcelo e ele não me deu nem ‘oi’, simplesmente mandou um áudio com a rima dele pronta”, conta.

Aquele Menino”, faixa que abre o álbum, conta com a participação de MC Deise, do Bonde das Loiras, grupo clássico do funk carioca dos anos 90. Flora Matos divide o microfone com Ret em “Paradoxo Mítico”, criada originalmente como um contraponto ao single “A Libertina”. Outros destaques para os fãs da cultura hip hop são “Tedebeeme”, feita em parceria com todo o elenco da Tudubom Records e “Gonê”, escrita inteiramente na Gualin do TTK (linguagem criada nas ruas do Catete, bairro-inspiração e berço do rapper). O álbum também traz “Retiavéliko”, “Faça Você Mesmo”, “Anarcos” e “Abençoado”.



Audaz” – Filipe Ret
Faixas: 13
Lançamento Som Livre

1. AQUELE MENINO - Part. Mc Deise (Filipe Ret / Dallass / Rick Beatz)
2. RETIAVÉLIKO (Filipe Ret / Dallass)
3. SANTO FORTE (Filipe Ret / Mãolee / Dallass / Rick Beatz)
4. TEDEBEEME - Part. Mãolee, Thiago Anezzi e Pan Mikelan (Filipe Ret / Dallass)
5. GONÊ (Filipe Ret / Dallass / Mãolee)
6. VIVENDO AVANÇADO - Part. BK' e TH (Filipe Ret / Rick Beatz)
7. PARADOXO MÍTICO - Part. Flora Matos (Filipe Ret / Mãolee / Dallass / Duani)
8. MACONHA - Part. Marcelo D2 (Filipe Ret / Dallass)
9. LOUCO PRA VOLTAR (Filipe Ret / Thiago Anezzi / Dallass)
10. FAÇA VOCÊ MESMO (Filipe Ret / Dallass / Mãolee)
11. ANARCOS (Filipe Ret / Rick Beatz / Mãolee / Dallass)
12. A LIBERTINA (Filipe Ret / Mãolee / Dallass / Duani)
13. ABENÇOADO (Filipe Ret / Mãolee / Dallass)

OUÇA:

Sobre Filipe Ret
Filipe Ret dedicou quase metade da sua vida à música e à cultura hip hop até se tornar um dos principais nomes da cena nacional. Desde o começo, nas rodas de rima, ele trazia um olhar diferenciado, de observador - sobre as ruas do Catete (o TTK, celeiro do rap carioca), onde cresceu – e a realidade dos morros.
Sua estreia foi no disco “Numa Margem Distante”, colaboração com o produtor e beatmaker MãoLee, em 2009. Juntos de Daniel Shadow, eles desenvolveram a Tudubom, banca independente de rap que conta com uma loja de artigos de street wear, um canal no YouTube e um selo fonográfico. Em seus anos de atuação, a equipe Tudubom desenvolveu um trabalho que se destacou na cena brasileira de hip hop independente.
No primeiro disco-solo, ele veio “Vivaz”, deixando claro que estava vivo e surpreendendo na cena. Lançado em 2012, o álbum trouxe o primeiro grande hit: “Neurótico de Guerra”. Já circulando pelo país, de casas em periferias até grandes palcos, Ret traz “Revel” (2015), álbum que o fez alcançar um novo patamar de popularidade e alcance de público. O disco ia do hit “Chefe do Crime Perfeito” até “Invicto”, que virou hino de torcida de futebol. O trabalho trouxe muito da cultura urbana carioca, servindo como linha condutora entre funk e rap.
Todos os palcos por que passou e todos os lugares onde se apresentou levaram Ret a “Audaz”, que sai pela Som Livre. Olhando para o futuro, como quem sobe uma longa trilha, ele se inspira no passado para um passo além.