sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Entrevistamos o Kwanza Real, o mc angolano Mascote do Av.

Recentemente o trio "Kwanzas Reias" formado por: Mascote do AV, V-Raptor e Troglobio MC, lançaram a Cypher "Kwanzas Reais" Pt1.

Este projeto é formado por Mc's angolanos que residem no Brasil.
Nós do Noticiário Periférico somos grandes entusiastas do rap angolano e resolvemos troca uma ideia com este trio.

O primeiro bate papo é com o Mascote.
Confira!


Diga pra geral, quem é o Mascote do Av ?

R: Bom, Mascote do AV, é um jovem nascido e criado no bairro Alvalade, rua kmdt GIKA, ingressou no mundo da música no ano de 2011 com o seu grupo (Nx Muzik), atualmente residente no Brasil - São Paulo, 24 anos, licenciado em TADS (Tecnológia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas), onde tem dado continuidade à sua carreira, agora à (solo).


Como você foi inserido no mundo do rap? tanto como ouvindo como mc.

R: Bom, tenho um amigo de infância (Taliban), que o seu irmão é MC, então, juntos passamos a ser ouvintes do estilo RAP.
E por influência desse mesmo amigo, gravamos uma música, essa de estilo(Kuduro).
Então, conheci outro rapper angolano residente em Portugal (NGA), e sentia que o que ele cantava era pra mim, foi aí então que decidi dar os primeiros passos no mundo do RAP.
Comecei escrevendo as minhas letras se baseando no cotiano, dia seguinte já estava no estúdio e depois a música já estava na rua, e assim foi acontecendo.


De que parte de Angola você é, bro?

R: Sou natural da província de Luanda, capital do País.


O que lhe trouxe ao Brasil? Foi fácil sua adaptação?

R: Então, minha irmã mais velha concluiu seu curso superior cá no Brasil. Quando voltou para casa, surgiu a ideia de trazer pra cá eu e a minha irmã mais nova. Resumindo, dar continuidade aos meus estudos (Ensino Superior), foi o motivo que me trouxe cá no Brasil.
Bom, foi algo novo. Difícil no início, mas à comunicação facilitou esse processo.


Como você define seu modo de fazer rap?

R: É um reflexo daquilo que eu sou, daquilo que faço. É baseado em tudo que me rodeia, meu estilo de vida.



O que geralmente lhe inspira a escrever teus rap?

R: Como disse à pergunta anterior, é muito pessoal. Meus momentos, emoções e sentimentos, transformam-se em rimas e fazem o meu dia.


Como você define o projeto Kwanzas Reias?

R: A ideia é dar visibilidade aos rappers angolanos residentes no Brasil, incluindo brasileiros também.
Parte de um princípio que viemos de um pais Luso para outro, então pensamos que com esse projeto podemos ganhar espaço no mercado do RAP brasileiro e no final de tudo, a união fazer a força.




O que no Brasil que é parecido com Angola? E o que é mais diferente?

R: Bom, há muita semelhança entre as culturas, tanto como a comida, a dança, carnaval e etc...
O que pra mim é mais diferente, é o português falado.


Existe vários rappers em Angola foda, mas qual o teu preferido? e porque?

R: Ouço muito rap feito em português e são vários nos meus ouvidos no meu dia à dia. Mas tenho um carinho grande pelo o NGA. Porque pra mim, é verdadeiro, um livro de inspiração e motivação para mim e a minha geração.



Pra terminar diga a primeira coisa que vier na sua cabeça, é tipo um pequeno Bate Bola, ok?


Uma Música?


R: Mascote do AV - 1Milhão Remix.


Trap ou Boombap?


R: Boombap, mas me entregando ao Trap Music também.


Sua mãe?


R: Rainha Josefa, minha Kota.


Real Madri ou Barcelona?


R: Barçaaaaaa


Assistam o clipe "1 milhão" do Mascote