quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Sétima edição do Festival Curau acontece nos dias 21, 22 e 23 de setembro em Piracicaba


O intercâmbio das manifestações culturais tradicionais e contemporâneas se materializa mais uma vez no Festival Curau (Culturas Regionais e Artes Urbanas), que chega a sua sétima edição neste ano em Piracicaba (SP) nos dias 21, 22 e 23 de setembro.

Unindo música, espaços de formação, oficinas, teatro, dança e atividades para crianças, o evento independente concentra mais de 35 atrações no Sesc Piracicaba, Largo dos Pescadores, Casa do Povoador e Casa do Hip Hop. A programação é inteiramente gratuita.

Mari Pedrozo, uma das organizadoras do evento, conta que a programação do Curau foi construída para atender as demandas dos movimentos de diversas linguagens e vertentes de Piracicaba, desde à cultura tradicional, até a urbana.

Ao longo dos sete anos de festival conseguimos reunir colaboradores que entendem a nossa proposta de ser um evento independente e de resistência. Assim, quase como uma curadoria colaborativa, cerca de 80% das atrações foram escolhidas através de diálogos com os movimentos e isso fica evidente na programação, que atende o hip hop, as mulheres, o movimento negro e, principalmente, a cultura tradicional”, frisou Mari.

Atrações

A sonoridade latino-americana da banda Francisco El Hombre será a responsável pela abertura do festival. Na sexta-feira (21), às 20h, o quinteto sobe ao palco da Comedoria do Sesc e interpreta suas músicas de letras em espanhol com sotaque brasileiro, e composições em português com sotaque latino com a instrumentação que une o coco, cumbia, maracatu, salsa, samba e ciranda. Francisco apresenta pela primeira vez em Piracicaba seu primeiro álbum “soltasbruxas”, lançado em 2016, dois anos depois da estreia do EP “La Pachanga!”.



No segundo dia de festival, sábado (22), a programação do CURAU se divide entre o Sesc, Casa do Povoador e Largo dos Pescadores, sendo os dois últimos espaços localizados na Rua do Porto, um dos principais pontos turísticos da cidade, que abrange parte da extensão do rio Piracicaba. Neste dia, as atividades iniciam às 9h e seguem durante o dia com minicursos, oficinas, teatro e rodas de conversa. A partir das 17h, as apresentações musicais ficam por conta do Samba de Lenço de Piracicaba, das colombianas Orito Cantora e Jenn del Tambó, do grupo de maracatu Baque Caipira, do rapper Kamau e da cantora olindense Doralyce, que faz show com a participação de Bia Ferreira. 

Já no domingo (23), a Casa do Hip Hop, localizada no bairro Paulicéia, sedia o Encontro de Danças Brasileiras, a partir das 10h, enquanto o entorno da Casa do Povoador terá uma tarde de contação de histórias para as crianças. No Largo acontecem os encontros de Troca de Sementes e Mudas, de Beleza Preta e o Sarau Um Salve das Minas, com a participação da rapper piracicabana JuPat. Sobem ao palco no último dia de festival a DJ Luana Hansen, o Projeto Guri, o Coletivo Anônimo de Dança, o músico e multiinstrumentista mineiro Sergio Pererê, o Batuque de Umbigada e o bloco afro de São Paulo, Ilú Oba de Min. O show do rapper Kamau e a tarde de contação de histórias na Casa do Povoador terão tradução simultânea em libras com os intérpretes Glaucio Camargo, Sirlei de Morais e Érica Fernandes. 

A programação completa você confere no link do evento. 


Informações para imprensa:
Thainara Cabral - (19) 98341-5804
Jaqueline Altomani – (19) 97156-2274