quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

SLAM BR - EM DEZEMBRO SÃO PAULO SERÁ A CAPITAL DA POESIA FALADA


O maior campeonato de slam da América Latina reúne poetas que trazem suas lutas, dramas cotidianos, e temas como o amor, a homofobia, o machismo e a violência.



SLAM BR - Campeonato Brasileiro de Poesia Falada chega a sua 5ª e maior edição, com centenas de participantes de todo o Brasil; evento comemora dos dez anos de slam no Brasil e acontece de 12 a 16 de dezembro no Cinesesc e no Sesc Pinheiros; a entrada é gratuita.

De 12 a 16 de dezembro acontece o SLAM BR 2018 - Campeonato Brasileiro de Poesia Falada, em sua quinta e maior edição. Apresentado pelo Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, o evento vai reunir durante cinco dias na cidade de São Paulo os campeões estaduais brasileiros dos "poetry slams", batalhas de poesia falada que se espalharam pelo Brasil com enorme adesão do público jovem e periférico. O vencedor representará o Brasil na Coupe Du Monde de Slam (Copa do Mundo de Slam), que acontece na França.

O público poderá acompanhar, gratuitamente, as batalhas classificatórias, que serão na Praça do Sesc Pinheiros. Além das batalhas, na abertura do SLAM BR 2018 será exibido, no CineSesc, SLAM: Voz de Levante, documentário Tatiana Lohmann e Roberta Estrela D'Alva. Duas oficinas abertas ao público no Sesc Pinheiros integram a programação: Voz e Performance, com Andrea Drigo, dia 14 de dezembro; e O Corpo Político em Performance, com Luaa Gabanini, no dia 15.

O Slam chegou ao Brasil há dez anos pelas mãos (e voz) de Roberta Estrela D'Alva. "Os slams são tão interessantes porque trazem essa mistura de política com poética. As pessoas se  autorrepresentam e têm suas vozes ouvidas. Porque trata-se disso: o slam não "dá voz" a ninguém. Ninguém "dá voz" a ninguém. As mulheres negras, a periferia, as pessoas LGBTQ, os indígenas já têm sua voz. Agora, que elas sejam ouvidas é a novidade", diz Roberta Estrela D'Alva, diretora, idealizadora e apresentadora do projeto.

O SLAM BR reúne poetas da cena nacional dos Poetry Slams, batalhas de poesia falada surgidas na década de 1980 nos EUA - celebradas em mais de mil comunidades ao redor mundo - e que hoje se estabeleceram como uma das mais democráticas formas de expressão popular, conquistando cada vez mais adeptos e espectadores.

Assim como nos saraus mais tradicionais, a ideia do formato poetry slam é democratizar a poesia, tendo como ponto de partida um jogo cênico onde a torcida, a emoção e o senso de participação façam parte do encontro. É o casamento do texto com a habilidade de apresentá-lo no palco, que tem o público como jurado.  

As batalhas retratam dramas cotidianos, como a homofobia, o racismo, o machismo, preconceito, a violência, entre outros temas. Nelas, os poetas devem ler ou apenas recitar, sem acompanhamento musical, poesias autorais.


Classificações

Em 2018, participam 25 slamers, de 18 estados brasileiros, escolhidos durante o ano em etapas regionais. Cada participante deve ter no mínimo seis poemas de sua autoria, de no máximo três minutos.

No dia 13 de dezembro, quinta-feira, serão sorteadas as chaves do torneio. No mesmo dia, acontecem as primeiras eliminatórias - em cada chave cinco poetas participam de três rodadas e, escolhidos pelo público, passam para a semifinal dois poetas. Essa fase eliminatória acontece ainda na sexta-feira. No sábado, 15, acontecem as três semifinais, com dois poetas cada. A grande final acontece no domingo, dia 16.  


Uma das características do slam é que o próprio público é o júri das batalhas. No caso do SLAM BR, cinco pessoas escolhidas entre o público, pelo slammaster e pela equipe do Slam, atribui notas após cada poema. A nota mais alta e a mais baixa são retiradas. As médias e as notas são marcadas em um quadro onde todos possam ver.  
Todas as apresentações das fases classificatórias, semi e final serão transmitidas em tempo real na página do evento no Facebook. A/O vencedor(a) representará o Brasil na Copa do Mundo de Slam na França em 2019.


Ações formativas

Além das apresentações, o SLAM BR vai oferecer duas atividades abertas ao público e gratuitas.
Na sexta-feira, a cantora, compositora e multiintrumentista Andrea Drigo ministra o workshop Voz e Performance Poética. O objetivo da aula é mostrar um pouco do trabalho de uma das professoras mais criativas da cidade e, ao mesmo tempo, abrir a escuta dos participantes para que eles percebam as diferentes frequências do som, esculpam linhas melódicas sentindo o peso de cada som e fruir com a voz no próprio ato de falar-cantar-mover-pausar.     

Luaa Gabanini - atriz, MC, fundadora do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos - faz, no sábado, o workshop O Corpo Político em Performance. A partir de exercícios que expandam as possibilidades de utilização da linguagem corporal durante a performance poética o encontro propõe uma vivência que explore as possibilidades expressivas do corpo a partir dos princípios do movimento cotidiano e das danças urbanas.
Ambas atividades terão acessibilidade em libras e são gratuitas.A inscrição será feita na hora.


SLAM BR

Em seu sentido estrito, o Poetry Slam ou Slam, pode ser definido como um "jogo", ou ainda "esporte da poesia falada". Mas para além disso, ele é reconhecidamente um movimento social, cultural e artístico que tem sido utilizado como plataforma para criar espaços onde a manifestação da livre expressão poética, do livre pensamento e a coexistência da diversidade são experienciados como prática de cidadania.  

Em seus quase 35 anos de existência, os poetrys slams se converteram em ágoras onde questões da atualidade são debatidas, inclusive com referências socioculturais e políticas. A auspiciosa junção de política, arte, entretenimento e jogo, somados à sua vocação comunitária, fazem com que os slams sejam celebrados em comunidades com realidades completamente distintas no mundo todo.
O SLAM BR acontece desde 2014 e reúne poetas da cena nacional dos Poetry Slams, batalhas de poesia falada surgidas na década de 1980 nos EUA e que hoje se estabeleceram como uma das mais democráticas formas de expressão popular em todo o mundo.

Por muito tempo, a poesia era somente produzida e apreciada em meios acadêmicos. Era. Assim como nos saraus mais tradicionais, a idéia do formato poetry slam, é democratizar a poesia e devolvê-la novamente às pessoas tendo como ponto de partida um jogo cênico onde, como em todo jogo, a torcida, a emoção e o senso de participação façam parte do encontro.


FICHA TÉCNICA

Roberta Estrela D'Alva_direção geral, idealização e apresentação
Eugênio Lima_idealização, DJ e apresentação
Luaa Gabanini_idealização, DJ e contadora de notas
Claudia Schapira_idealização e produção
Dani Nega_"xuxu" patinadora assistente de palco
Mariza Dantas_direção de produção e administração financeira
Vinícius Tomás_ conteúdo digital
Fernando Martins_registro em vídeo
Sergio Silva_fotos
Juliana Osmondes_produção artística, receptivo e logística
Amanda Cunha_assistente de produção
Layla Medeiros_assistente de produção
João de Souza Neto_técnico de som
Erika Mota, Thalita Passos e Carol Fomin_intérprete libras
Aluíso_mapa slam BR
Murilo Thaveira _ programação visual e ilustrações

PROGRAMAÇÃO


12 de dezembro, quarta-feira
Local: CINESESC (entrada gratuita - retirada de ingressos uma hora antes)
19h30: Abertura SLAM BR 2018
21h: Exibição do documentário SLAM: Voz de Levante - direção Tatiana Lohmann e Roberta Estrela D'Alva

13 de dezembro, quinta-feira
Local: Sesc Pinheiros | Praça (gratuito)
14h30 às 16h: Reunião de boas vindas e sorteio das chaves (somente para xs poetas)
Eliminatórias (Praça):
17h às 18h30: SLAM BR - CHAVE A (duração: 1h30) 5 poetas participam em 3 rodadas - 2 poetas passam para as semifinais
18h30 às 20h: SLAM BR - CHAVE B (duração: 1h30) 4 poetas participam em 3 rodadas - 2 poetas passam para as semifinais
20h às 21:30-SLAM BR - CHAVE C (duração: 1h30) 4 poetas participam em 3 rodadas - 2 poetas passam para as semifinais

14 de dezembro, sexta-feira
Local: Sesc Pinheiros
14h às 16h: Workshop Voz e Performance Poética, com Andrea Drigo
(aberto ao público)
Inscrições no local com 30 min. de antecedência.
Eliminatórias (Praça):
17h às 18h30: SLAM BR - CHAVE D (DURAÇÃO: 1H30) 4 poetas participam em 3 rodadas - 2 poetas passam para as semifinais
18h30 às 20h: SLAM BR - CHAVE E (DURAÇÃO: 1H30) 4 poetas participam em 3 rodadas - 2 poetas passam para as semifinais
20h às 21h30: SLAM BR - CHAVE F (duração: 1h30) 4 poetas participam em 3 rodadas - 2 poetas passam para as semifinais

15 de dezembro, sábado
Local: Sesc Pinheiros
14h às 16h Workshop O Corpo Político em Performance, com Luaa Gabanini (aberto ao público)
Inscrições no local com 30 min. de antecedência.

Semifinais do SLAM BR (Praça):
17h às 18h30: SEMIFINAL 1: primeiros colocados das chaves A e C + segundos colocados das chaves B e D
18h30 às 20h: SEMIFINAL 2: primeiros colocados das chaves E e F + segundos colocados das chaves A e C
Intervalo
20h às 21h30: SEMIFINAL 3: primeiros colocados das chaves B e D + segundos colocados das chaves E e F
Desta etapa passam 6 poetas para a grande final (dois poetas de cada semifinal)

16 de dezembro, domingo
Local: Sesc Pinheiros
13h30 às 16h30: Reunião anual SLAM BR (para slammers e slammasters)
17h às 19h: Grande Final do SLAM BR
Com os 1º e 2º colocadxs das semifinais 1, 2 e 3.
X vencedor representará o Brasil na Copa do Mundo de Slam na França 2019.

SERVIÇO
SLAM BR 2018
De 12 a 16 de dezembro
entrada gratuita

CineSesc

Rua Augusta, 2075 - Cerqueira César

Tel: 11 3087-0500

(próximo ao metrô Consolação)

Sesc Pinheiros
Endereço: Rua Paes Leme, 195.
Bilheteria: Terça a sábado das 10h às 21h. Domingos e feriados das 10 às 18h.
Tel.: 11 3095.9400.

Estacionamento com manobrista: Terça a sexta, das 7h às 21h30; Sábado, das 10h às 21h30; domingo e feriado, das 10h às 18h30. Taxas / veículos e motos: para atividades no Teatro Paulo Autran, preço único: R$ 12 (credencial plena do Sesc) e R$ 18 (não credenciados).
Transporte Público: Metrô Faria Lima – 500m / Estação Pinheiros – 800m