segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Barba Negra lança Mantra de Maloqueiro com produção de Dr Drumah


E no último dia 30 de janeiro, o pirata "Barba Negra aka O Terrível Ladrão de Loops" deu início ao que vai ser uma série de singles, visitando a atmosfera de alguns beat makers. E o capítulo I, teve a produção de Dr. Drumah. 




O chamado Capítulo I, teve o nome de "Mantra de Maloqueiro", conta com letra de Barba Negra e loop de Dr. Drumah. Contou ainda com captação e mixagem de Capitão Diego Xavier (Estúdio Wasabi), arte e vídeo de Mattenie Neto e idealização de COLMÉIA Golden Era. 


Discorrendo um pouco sobre algumas impressões das linhas mandadas por Barba Negra, é possível ouvir um som que de alguma forma nos toca o consciente e nos faz evoluir enquanto pessoas, no caso ele trata como algo mais pessoal, mas que se projeta na música.



O som começa, "Meu rap é mântrico, força de cântico tupiniquim", de acordo com o dicionário, mantra é um hino do hinduísmo e budismo, que é dito de forma repetida e tem como objetivo relaxar e induzir um estado de meditação em quem canta ou escuta. Quando é dito que o rap é mântrico, com a força do cântico tupiniquim, esse referente ao que é nacional, me parece uma exaltação de como o fazer música relaxa e ajuda com que o rapper entre em um estado de espírito legal quando está fazendo música.

A sequência da música fala "Kin da profecia Maia, um Deus do Sol como Rakim". Os Maias mediam o tempo de uma forma completamente equilibrada com os ciclos astronômicos. Um Kin (que também pode ser chamado de Assinatura Galáctica) é a medida de uma unidade no Tzolkin. Ele é um fractal e pode representar uma pessoa, um dia, um ano, uma era. Cada um de nós carrega um Kin específico de acordo com o Kin da nossa data de nascimento, uma energia especial que carregamos conosco desde o dia em que nascemos até a eternidade. Eles são uma combinação de um Selo Solar com um Tom Galáctico, formando um Kin. Esse elemento carrega energias universais e passa mensagens muito interessantes para se refletir por alguns minutos todos os dias. (Kin Maia: qual seu significado?) e (Descubra seu Kin). A segunda linha, faz menção ao significado do nome do MC Rakim. Nos primeiros dias de Rakim, ele era conhecido como o  Kid Wizard (Garoto Mago), mas uma vez que ele se tornou um membro da 5 Percent Nation, às vezes chamada de Nation of Gods and Earths ou Five Percenters, que foi uma organização afro-americana fundada no Harlem em 1964 por Clarence 13X, um ex-membro da Nação do Islã, e ele adotou o nome de Rakim Allah. Dividido, Rá significa deus do sol, enquanto Kim é outro nome para o Egito, que significa "terra do povo de rosto queimado".


Rakim.
Seguindo ainda para a segunda estrofe, "Então trabalha e não atrapalha ... que eu lembro bem da gaita do “Fio da Navalha”" Barba faz menção a gaita do som Fio da Navalha, do Racionais MC's, que compunha o álbum Raio X do Brasil.



No fim do som, ele parece marcar o som como o início de algo pra mostrar, no caso, dizer que o Rap é mantra de maloqueiro! "Então tá dito no versículo, Capítulo I, RAP é mantra de maloqueiro!"

E aí, você já conferiu? Qual seu mantra? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow Us