terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Cineasta Carem Abreu,mbarca para o Senegal para pesquisa da série “CONEXÃO Brasil Senegal: a Cultura em Nós”


Cineasta Carem Abreu, da Atos Central de Imagens, embarca para o Senegal para pesquisa in loco da série

 “CONEXÃO Brasil Senegal: a Cultura em Nós”

A cineasta mineira Carem Abreu, autora, diretora e produtora executiva da série “CONEXÃO Brasil Senegal: a Cultura em Nós”, embarca na próxima semana para o Senegal para iniciar a pesquisa de campo junto aos povos originários  e comunidades ancestrais senegalesas que serão retratadas na série documental. O seriado é uma co-produção brasileira com o país africano e conta com equipe nos dois países.
Separados por um Oceano, o Brasil e o Senegal possuem conexões históricas que podem ter resultado em semelhanças culturais entre os dois países, seja nas  manifestações artísticas ou nos costumes e formas de viver de seus povos. As etnias senegalesas Serere, Wolof, Peulh, Diola, Mandinga e Soninke, por exemplo, possuem, cada uma, manifestações musicais e costumes rituais que trazem traços culturais presentes na capoeira, no samba, na dança afro, no rap e no slam, no reggae e também em rituais das religiosidades afro-brasileiras, tão marcantes na cultura do nosso país.
Partindo destes indicativos, a série documental investigativa CONEXÃO Brasil Senegal”, que acaba de iniciar sua pré-produção, traz na sua primeira temporada o viés da cultura, e por isso é intitulada como “A Cultura em Nós”.  Essa temporada se propõe a investigar as semelhanças, pontes, conexões e diferenças socioculturais existentes entre o Brasil e o Senegal, por meio de suas manifestações culturais, religiosas, costumes, comportamentos e dinâmicas sociais.
Nesse momento de pré-produção está sendo executada a pesquisa in loco,  destinada à  consolidar as pesquisas previas sobre expressões culturais no Senegal e no Brasil, que vem sendo executadas pela equipe de roteiro desde dezembro. Por isso, a cineasta Carem Abreu e a pesquisadora do seriado, Mariana Bracks, historiadora especialista em história da África, passarão 20 dias no Senegal, entre janeiro e fevereiro, percorrendo mais de 2mil km, cidades e povoados remotos onde vivem os povos das etnias senegalesas Serere, Wolof, Peulh, Diola, Mandinga e Soninke.  A

viagem é uma das primeiras etapas para que a cineasta entre em profundo contato empírico com as tribos e comunidades existentes dentro da diversificada sociedade senegalesa, permitindo o mapeamento das possibilidades de convergências que a série procura abordar.
Em meados de fevereiro  até o final de março Carem e Mariana realizam a pesquisa no Brasil, nas cidades de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Maranhão, onde serão investigados os modos de vida e a produção cultural das pessoas que praticam  a capoeira, o samba, a dança afro, o rap e o slam, e o reggae.
Com 6 episódios de 26 minutos cada, a série CONEXÃO Brasil Senegal: a Cultura em Nós”será gravada ao longo de 2019 e tem estreia prevista para 2020, no canal CineBrasil TV (Sky 157). A Co-produção é um trabalho conjunto da Atos Central de Imagem com a Associação Batuk de Comunicação e Cultura e uma parceria com DLM Filmes, da Dakar, no Senegal. O roteiro é assinado por Carem Abreu (Brasil) e Mamadou Diop (Senegal), além de contar com uma equipe técnica senegalesa composta por um diretor, um diretor de produção, um pesquisador, uma assistente de direção e uma assistente de produção. A série é realizada com recursos do Prodav 01 (produção de conteúdo para TV fechada) e com patrocínio do Fundo Setorial do Audiovisual, BRDE, Ancine.
Sobre a ATOS Central de Imagens
A ATOS Central de Imagens é uma produtora audiovisual que possibilita a midiaização e a amplificação simbólica e social da cultura popular e dos movimentos socioculturais através da consultoria e produção de conteúdo para tv, vídeos, sites, blogs, revistas, programas de radio, criação/ manutenção de redes sociais e eventos. As ações culturais são criadas para ampliar a valorização social da diversidade cultural e para ressignificar socialmente as atividades afro-brasileiras no Brasil e no mundo. Em todas atividades, é garantido nas equipes de profissionais a inclusão e a capacitação de jovens e adultos oriundos dos bolsões de pobreza, como novos agentes na cadeia produtiva cultural do Estado. A difusão da cultura popular afro-brasileira e seus valores de humanização e autovalorização, é realizada para ampliar os valores de respeito a diversidade étnica e contribuir para a luta contra o preconceito racial velado existente no Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário