quinta-feira, 17 de setembro de 2020

RadarNP | Nenny x Carla Prata x Mary'J x Sidjay

 


É com um imenso prazer que iniciamos o quadro #RadarNP (Edição Lusófona). #RadarNP é mais um quadro onde vamos trazer artistas fora do Hype e tentar mostrar alguns trabalhos foda que talvez possa ter passado batido. O intuito de nosso site é sempre que possível valorizar a boa música, independente do estado ou país, nossos radares estão sempre apontados fora do senso comum, do que tá na moda ou no mainstream. Para abrir o quadro muito bem, estamos trazendo 4 artistas da lusofonia (2 angolanos, uma inglesa com ascendência angolana e uma portuguesa) muito talentosos que lançaram seus respectivos EP’s neste ano de 2020. 

Os 4 artistas carregam em seus sons toda aquela sonoridade africana misturado com o Rap e o R&B. Pegue seu melhor fone, conecte seu aparelho celular ou computador no seu som porque vale muito apena vocês sentirem todas as sonoridades. É tudo muito bem produzido, desde a produção do beat, letra e as magnificas vozes dos cantores. 

Vamos conhecer um pouco de cada artista: 


SIDJAY 


Sidjay Monteiro é um cantor angolano, nascido e criado em Luanda, capital de Angola. Sidjay estreia na cena musical angolana com seu EP ALMA, lançado no mês de maio de 2020. 

Este EP é o primeiro trampo solo do cantor, que é conhecido por sua voz intensa e única, que expressa muito bem os sentimentos através da música. ALMA tem cinco faixas bem intensas que mostras emoções e lutas internas fortemente carregada com poesia. 

“Noites de verão, mas eu sinto tanto frio
Tenho o copo cheio e o coração vazio
E eu não deixar ninguém roubar meus sonhos
Nem que eu tenha que lutar com mil demônios” 

Mil Demônios

Este EP promete levar vocês a uma viagem nos sentimentos do Sidjay. Com certeza vocês vão se identificar com todas as faixas. O cantor consegue falar sobre assuntos cotidianos de uma forma que poucos conseguem. 

Ouça ALMA: Spotify | Youtube


MARY’J 

Tem nome de artista importante, né? Não só nome, Mariana Guimarães também é uma das novas vozes do R&B angolano com grande talento. Nascida e criada em Luanda, mais especificamente em Maianga, a cantora angolana que por influência de seu pai é fã de Michael Jackson, e muito por influência de musicas da Disney e novelas brasileiras como Chiquitas e Floribela a motivou a ser cantora. Em entrevista ao site Bantumen, a Mary’J diz que começou a cantar em 2017, quando a TDB Muzka a convidou para participar na música “By Night”

Ainda em entrevista ao site Bantumen, a Mariana diz que a Mary’J é sua “eu” mais extrovertida e criativa. 

“É através dela que todos os meus sentimentos são transportados sem filtros para o papel ou notas do telefone de modo a criar algo capaz de despertar sentimentos a quem ouvir”, conta a cantora angolana. 

No inicio desse ano em parceria com o Mad Marcu$, a Mary’J lançou o EP “LOVE 1755”. A dupla é apelidada por 1755 em referência ao abalo sísmico que ocorreu em Lisboa em 1755. Apesar de ser uma dupla de R&B bem romântica, Marcu$ e Mary prometem muito em breve abalar a cena internacional lusófona. 

“Já tá na cara a muito tempo que essa amizade é coisa do passado 
Então vou já deixar bem claro, pra essas biatch’s que sou a dona do pedaço 
Então pode marcar um almoço com mama, tentar fazer com que ela goste de mim, isso é o normal de quem ama” 

Não Sei Fingir
          
Embalado com muito R&B e muita influência do Trap'nSoul, “Love 1755” vai fazer com que você entre um pouco nos sonhos, experiencias no campo do amor, naquela forma de amor que são vividas pelos jovens. 

Ouça LOVE 1755: Soundcloud


Nenny 

Marlene Fernanda Cardoso Tavares vulgo Nenny é uma jovem de 18 anos que aos 16/17 se tornou sucesso internacional com seu famoso single “Sushi”, que já acumula 13 milhões de visualizações no Youtube e 6 milhões e meio no Spotify. Nenny é nascida em Vialonga, Lisboa. Mas atualmente vive entre Luxemburgo e Lisboa. 

Em meio a escola, shows e entrevistas, a cantora e MC deixa claro em sua entrevista ao site Rimas e Batidas, que não se limita ao rap ou ao Dancehall. 

“É super importante. Porque eu sou assim! A Nenny nunca é uma “cena” só. A Nenny nunca é rapper ou uma dama de dancehall. Sou os dois, os três, os quatro. Sou muitas coisas”, conta Nenny

"Mãe, Mesmo que às vezes estejas errada eu aceito, não we gotta pray
A ti não te interessa se tu ficas mal desde que eu fique bem
Já desde uns tempos que 'tão lá pa' trás
Tu sempre ensinaste a olhar pra frente
Mudamos de país fomos pra França
Escravas à mesma, mas língua diferente
Deixa eu juntar a minha história a tua história
Sempre contigo tu choras eu choro
Eu sei que foste procurar conforto
Mas agora eu 'tou à procura de glória mãe
Mas pra renda estar paga
E pra haver um prato pra cada
Tu tens essas costas marcadas, mãe
Mas tu nunca cais
Tu nunca cais, tu nunca cais, tu nunca cais
És pra sempre 

Please smile, apenas um sorriso, mãe
Eu sei que um dia vais estar bem
Então vá lá não chores, vem 

Porque eu devo tudo à dona Maria"

Dona Maria
 
Lançado em março de 2020, AURA mostra todas as facetas da jovem rapper e cantora. Apesar da pouca a idade, a jovem tem uma caneta muito madura e pesada, ela tem o dom! O EP é um misto de Rap, R&B, Dancehall, Afrobeats e outros ritmos afro-diaspóricos. Além do mega sucesso Sushi, a Nenny também emplacou o som “Bussola” e “Dona Maria” nas paradas de sucesso lusófona. 

Ouça AURA: Spotify | Youtube

CARLA PRATA 

Carla Prata nasceu em Waterloo, Inglaterra, mas tem ascendência angolana, tanto que em sua adolescência viveu entre Benguela (Angola), Lisboa (Portugal) e Londres (Inglaterra). 

Depois de lançar os Ep’s: “Vol.1” e “Com Calma”, Carla Prata mostra ruas raízes com seu Ep que deu uma projeção internacional, ROOTS. 

Roots, em português Raízes, resume muito bem o que é esse EP, porque já que a cantora e compositora transitou nesses 3 países, ela foi fortemente influenciada por diferentes ritmos afros e, nesse álbum você encontra influências do Naija, Dancehall Riddims e até do Funk Carioca, tudo naquela vibe gostosa do R&B. 

"Eu não tenho muito dinheiro p'ra dar
Só posso prometer te amar
Por onde ando cê não deve andar
A história na rua é crua e muito é verdade
Não sou boba sei que vão pedir yeah
Mas ela só quer dar p'ra mim yeah
Todo o dia correria na parada
Tipo que isso é filme de gringo yeah
Se pedir bem eu fico yeah
Sem ter dó dos seus vizinhos yeah
Fodemos nós não dormimos
Vivendo um amor proibido"

Sandra          
Como citei acima, a cantora traz bastante influências de ritmos afros, esse Ep é 10/10, você ouve fácil sem trocar de faixa. Mas quero destacar a faixa “Sandra” que tem participação do grupo carioca 3030. Esse som traz aquela vibe carioca e praiana. Achei muito foda como uma artista angolana conseguiu captar o clima “malandro” e amoroso da cidade maravilhosa. E a faixa “Favelada” com participação do “Paulelson”, que literalmente é um funk. 

Ouça ROOTS: Spotify | Youtube

Espero que tenham gostado dos artistas e que procure mais sons vindos da Lusofonia.




Um comentário:

  1. Carla eu amo as tuas músicas espero que vc veja esse comentário sou muito sua fã o meu sonho é te conhecer pessoalmente ❤️❤️❤️

    ResponderExcluir