quarta-feira, 30 de dezembro de 2015



Com 2015 no fim, os ouvintes começam a fazer a lista dos álbuns que devem esperar em 2016. Posso adiantar-vos que 2016 será promissor, bem, pelo menos é o que parece.
O meu trabalho hoje é prever e esperar que todos estes álbuns não só sejam lançados, mas que sejam tão bons quanto eu os tenho imaginado. É claro que alguns irão desapontar, outros nem sequer verão a luz do sol, mas isto faz parte do processo.
Assim sendo, eis a lista daqueles que eu acho serem os álbuns mais esperados de 2016. Atenção, eu escrevi álbuns, não EPs, nem mixtapes.

CONFIRA A A LISTA NO SITE --> HIP HOP ANGOLANO 


Terceiro ano desta linda, desafiadora e sempre árdua lista de 25 mulheres negras que se destacaram nas interwebs ao longo de 2015. Como as Blogueiras Negras não abrem mão de um bom desafio, mais uma vez lançamos uma lista inédita com nomes poderosos do feminismo negro. Importante escurecer entre nós que a lista não é excludente, mas buscamos que cada mulher presente nela represente outras tantas. Celebramos que haja cada vez mais mulheres negras alastrando negritude pela internet com projetos maravilhosos e muito representativos.
As mulheres aqui citadas não são apenas uma referência para nós, mas também mulheres com quem desejamos construir coisas durante o próximo ano, mulheres que ajudarão nessa tarefa nada fácil que é empoderar outras mulheres negras: sendo espelho, sendo referências.
De vlogues bem sucedidos até textões de facebook, temos muitas mulheres negras produzindo conteúdo na internet, sendo protagonistas da sua própria história e senhoras dos seus discursos. Cada vez mais consolidada, a internet tem agregado outras plataformas – snapchat, periscopes e afins –  proporcionando às diferentes mulheres a multiplicidade na construção dos discursos e também aumentando o alcance da mensagem.
A novidade desse ano é que além da lista das #25webnegras, acrescentamos também uma pequena lista com algumas representantes da juventude negra, viva, combativa que nos mostram a importância do feminismo negro alcançar cada vez mais meninas negras, adolescentes e até crianças. Estão também algumas feministas africanas que já são conhecidas no Brasil, e algumas homenagens. São mulheres e meninas que tem feito a diferença, nos mostrando seus pontos de vista e fortalecendo a luta das mulheres negras. Então, vamos a elas?
São 25 mulheres não ordenadas pelo grau de importância, mas que representam muito mais das nossas, muito mais mulheres negras e que mandam muito bem pela internet afora. Se joga!
(Conheçam as listas de  2013 e 2014).
SAIBA QUAIS AS RAPPERS BRASILEIRAS ESTÃO NA LISTA DO  >>> BLOGUEIRAS NEGRAS

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015



Glitch art e psicodelia se juntam em novo clipe de Marcão Baixada 
Faltando uma semana para 2015 acabar -e em pleno Natal- Marcão Baixada promove o single "Psico" com um videoclipe nada convencional. 
A canção, que tem instrumental produzido pelo produtor mineiro GabasBeats, revela a total influência das batidas frenéticas do Trap e expressões originadas nas favelas e popularizadas pelo Funk Carioca se refletindo no trabalho do rapper; em uma música um tanto sombria, onde Marcão exalta suas conquistas e lembra das escolhas durante a adolescência que o fizeram chegar aonde está. 

A direção do vídeo é de Higor Cabral, da produtora Pitanga Audiovisual, que junto com Marcão, decidiu ter a Glitch art como referência, além do filtro roxo que traz toda uma atmosfera psicodélica da vibe em que Marcão e o seu bonde estão durante as filmagens, que aconteceu no conjunto habitacional BNH, no município de Mesquita -Rio de Janeiro- onde o rapper foi criado. 

Saiba mais:


[+] Marcão Baixada no Facebookhttp://fb.com/marcaobaixada

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015



As vezes nossos pais não percebem o porquê das nossas notas baixas, rendimento baixo e até reprovações. Para muitos pais ir a recurso é sinónimo de preguiça, falta de empenho ou capacidade intelectual reduzida, e alguns ainda acrescentam: disperdício de dinheiro. Mas será que é sempre assim? Numa sociedade como a nossa em que a corrupção, o assédio sexual, a hipocresia e outras coisas más existem, há vários factores que contribuem para isso.

terça-feira, 22 de dezembro de 2015




RELATO: O Racismo Diário e a Síndrome do Pequeno Poder por Ibu Lucas


Salve rapa, só agradece a compreensão, a paciência e principalmente a preocupação com a minha integridade diante do ocorrido de ontem. 

Queria comunicar que estou bem, vivo e em casa, é isso que importa acima de tudo. Ontem foi o II Grande Ato Unificado onde a polícia demonstrava o tempo todo que a ordem explicita, vindo do nosso excelentissimo Geraldo Alckimin, era de repreensão e violência total aos apoiadores, pais, mães, crianças e secundaristas. As ameaças da tropa de choque no decorrer do ato foram constantes, comentários como "vocês tão fudido", "bando de macacos" eram presentes. 

Não sedendo as provocações, permanecemos focados na segurança do ato e no decorrer do mesmo, que acabaria por se encerrar de uma forma um tanto quanto cruel e trágica. O ato em seu final foi se dispersando naturalmente, algumas pessoas ficaram e decidimos em conjunto discutir qual seria o andamento do ato, se iriamos encerrar ou se iriamos todos juntos em direção ao metrô. A segunda opção foi a escolhida, fizemos um jogral com um cordão de segurança e fomos todos em direção ao metro, já que a poucos metros de nós haviam mais de 300 policiais militares juntamente com a Tropa de Choque, um número extremamente absurdo comparado ao numero de jovens que se encontravam no final daquele ato.

Após a execução do catracasso, vi materializada, em carne e osso, em padrões estéticos eurocêntricos e exaltados pelas grandes mídias burguesas, a síndrome do pequeno poder. Os guardas bonitões metidos a policiais começaram a instintivamente bater em quem surgisse pela frente, presenciei mulheres e crianças sendo agredidas em um descontrole total. Em especifico me revoltei quando vi uma garota que eu não daria mais de 15 anos de idade apanhando de um desses bonitões, foi quando parti pra cima do mesmo e tentei coagi-los com mais alguns caras, infelizmente acabei por escorregar e fui arrastado pra uma sala estranha dentro da sé da qual eu nem me recordo como fui parar lá, foi quando a Policia Militar chegou dentro da Estação e o caos se estabeleceu de vez, dois policiais e dois guardas começaram a sessão de torturas psicologicas e até mesmo fisicas dentro da sala. Não me atuaram em nada, não me deram voz de prisão, só gozavam prazerosamente do prazer da Sindrome do Pequeno Poder e do Racismo Diário. 

Me chamaram de "macaco fedido do caralho", disseram que iriam cortar os meus dreads e que iriam me matar, que minha mãe iria chorar no meu enterro, jogaram spray de pimenta e me falaram pra ficar com a cabeça baixa. Nesse momento mais um motim começou, eu me mantive de cabeça baixa pois tentava de forma escondida postar alguma coisa no facebook, (até consegui, mas a mensagem só viera a ser publicada quando meu celular conectou-se ao primeiro Wifi livre, só em Jabaquara, quando estava bem e solto, mas sem bateria nenhuma pra avisar). Um dos guardas pegaram meu RG, começou a anotar meus dados e entregou para um PM que saiu, o outro, que estava visivelmente alterado,, começou a me enforcar com o cassetete com extrema força porque eu havia dito que não falaria nada e que a minha advogada já estava a caminho. O PM só parou o enforcamento após eu fingir desmaio e saiu balbuciando algumas coisas racistas da sala. Os dois guardas ficaram me vigiando, mas estavam dístraidos conversando no rádio, pois a confusão continuava lá fora, foi o momento que tive o impeto de sair correndo pela porta com uma força que eu nem imaginava ter, um dos guardas me perseguiu e felizmente consegui entrar no metro após um dos estudantes segurar a porta pra mim, depois disso o trem parou diversas vezes para vistoria, mas graças a deus consegui chegar em Jabaquara com cobertura e ajuda de uma familia que nem tive tempo de agradecer. 

Me encontro em casa, quieto e tentando digerir isso tudo, agradeço e peço ainda mais o apoio de todos voces, principalmente pelo triste fato de me encontrar meio que de mãos atadas, já que não houve registro algum das agressões.

A luta segue e não tem arrego, a periferia vai sobreviver!

*Nenhum deles estavam devidamente identificados
*Só decidi postar os informes aqui porque me vi acoado e não to afim de morrer com isso engasgado, os próximos passos serão para além dessa plataforma e se tiver como haver justiça nessa fita, estaremos a buscar por ela.


"Isto que você ouve nem é rap", "Eu só ouço rap de verdade', "Rap é compromisso", estas frases talvez sejam as mais ditas no rap brasileiro de uns tempos pra cá.

Por Anderson Hebreu


De alguns anos pra cá estas frases tem sido usadas demasiadamente pelos fãs do rap gangsta, pois na mente de alguns deles o único rap que representa a favela é o gangsta, pois só eles que batem de frente com sistema e seus ídolos não estão no rap por dinheiro. (Abraçaaa!!)

Primeiro quero deixa bem explicado, eu sou fã do gangsta rap, mesmo não concordado com a postura de alguns rappers em relação aos rappers de outros sub-generos, minha critica é direcionado a alguns fã do gangsta rap.
 O que me incomoda e incomoda a muitos, é este racha um quase apartheid criador por eles dentro do rap,alguns fãs do gangsta rap são meio extremistas quase separatistas, pois só o que ele curte presta e só o tipo de rap dele é o que fala as verdades e bate de frente com o sistema, ou seja o resto não é rap,no meu ver isto não passa de pura ignorância da parte deles, sim esta é a palavra ignorância, não no sentido de burro, e sim no sentido de não parar para ouvir outro tipo de rap com uma batida diferente quem tem as mesmas ou até mais ideia que o gangsta, pois no meu ver o rap chamado de underground tem um alto teor lirico.


Porem para eles o rap gangsta que é o verdadeiro rap.
Mas peraiiii o que veio primeiro o Gangsta ou rap..? claro que o rap veio antes né parças!!!

O fã do gangsta rap precisa estudar melhor a origem do rap, saber que ele surgiu de uma mistura, o rap em si já é misturado, por tanto se ele mistura com reggae,samba,rock ele não deixa de ser rap.
E como todos sabem,e eu espero que saibam mesmo que RAP significa Ritmo e Poesia, e poesia é livre, você pode falar do assunto que quiser.

Mas então o que é rap de verdade..??

Gangsta,underground,trap,jazzrap ou qualquer outro subgênero não é "rap de verdade", não existe rap de verdade, existe a verdade que você poe no seu rap, todo rap que é feito com amor, trabalho e dedicação é de verdade, seja ele para contestar o sistema, para animar as pessoas, ou simplesmente para dançar, para confrontar o racismo,sexismos ou qualquer tipo de preconceito.

Antes de eu criar o Noticiário Periférico e ele ter se tornado um veiculo onde grupo novos enviam seus materiais para divulgação e também ter ser tornado um site conceituado, eu tinha a mente muito fechada achava que o rap não tinha que ir na TV, que o rap não era som pra dançar a não ser que fosse break, que eu não podia curte os mano que pinta o cabelo amarelo, que é normal ser machista no rap.. eu reproduzia muita coisa errada..eu tinha uma visão que o rap tinha que ficar preso no gueto, e por morar em São Paulo muitas vezes nos condicionamos a ser bairrista, achamos que só no nosso rap presta.

Porem quando eu passei a receber muito material de artistas novos e bons eu pensei,carai existe um mundo alem do gangsta rap (não que eu não ouvia outros tipos de rap eu não tinha noção destas divisões de rap e eu tinha este preconceito dentro de min), eu passei a ouvir todo tipo de rap sem medo do que os outros iriam dizer ou me chamar, como costumam dizer que sou modinha, ou que não ouço "rap de verdade", eu passei encontrar mensagens loucas ideias revolucionarias e mensagens diversas nestes artistas que não são ouvidos pela maioria do publico.


Rap é compromisso ..? claro, mas até onde vai o seu compromisso com o rap..?

Você já se perguntou o que é compromisso no rap...? quando o sabota disse e eternizou esta frase, ele nunca disse esta frase usando o contexto que ter compromisso com o rap era não ganhar dinheiro com sua musica, o compromisso era com a verdade, e não a verdade A ou B, e sim a verdade que você acredita, a verdade que você quer passar na sua musica.
Mano hoje em dia eu dou mais valor num rap que passa umas ideias consciente com positividade, eu estou cansado de só, eu disse só ok..? estou cansado de só ter rap com historia triste, eu acredito que as letras de rap também tem que passar uma perspectiva de vida positiva de isentivos, taligado..?
Como disse o Sabotage "Se eu for falar só de sofrimento, meu tempo não da, olha só ao meu redor" (entrevista dada na favela do canão).
Uma das letra que marcaram minha adolescência foi a musica "Eu não pedi pra nascer" do facção central, a historia desta musica é triste pra carai, a primeira vez que ouvi eu choverei carai.. musica triste pra carai, e eu acredito que este tipo de musica é necessário, mas não só este, tem momentos que nós já estamos pra baixo e queremos ouvi algo mais alegre, algo positivo, ai que entra grupos como Doctors Mcs,Ndee Naldinho no seu começo de carreira, Thaide e Dj Hum com a musica "Senhor Tempo Bom" SP Funk,Pentagono,Emicida,Negra Li, e por ai vai... o rap sempre teve os dois lados da moedas, ou melhor o rap sempre teve vários lados tipo um cubo magico.

Foto Ilustrativa (O rap pelo rap)


E outra fita que me incomoda, são os fãs cobrarem compromisso dos Mc's, mas e você ja parou pra pensar..... em que eu contribuo com o rap..? eu compro cd..? eu vou em shows..? eu sou participativo na cultura..? eu sigo os "ensinamentos" que tem nas musicas..? e etc.
Antes nós cobrarmos algo que eu acho errado cobrar mc, nos temos que ver se nós somos exemplo para ficar cobrando ou julgando o outro.
Muitos fãs adoram arrotar a frase do MV BILL "só deus pode me julgar", mas vivi na internet de zé povinhage, falando da vida do MC, que rapper tal fez isto, que rapper tal gravou com fulano.
Você que faz isto não tem compromisso nenhum com rap, só tem compromisso com a zé povinhagem!

O publico do rap anda sabotando o próprio rap, pois se ele não gosta de um determinado rapper ou musica ele ja diz que não é rap, ele ridiculariza na internet e o pior que vejo pagina de rap no facebook, compactuando com esta onda, as pessoas que tem estas pagina não tem noção da arma que é um meio de comunicação com mais de 10 mil seguidores no facebook, estou falando 10, mas estas pagina tem mais de 30 mil seguidores, isto viraliza e no meu ver isto esta "minando" o rap, pois enfraquece a estrutura da cultura. 

Acabei de ver o documentário "O rap pelo rap" dirigido pelo mano Pedro Favero e o documentário começa com um discurso do Mano Brown e ele diz "Profeta mc ..? não existe meu parceiro,não abraça, todos querem a mesma coisa,raça infeliz, mc's, seres humanos com um microfone na mão,vaidosos por natureza, cuidado com eles"

Achou ofensivo né parça..??? mas é a realidade ladrão, ser humano quer dinheiro, MC não é diferente, claro que existe exceções, não irei citar nomes cada um que escolha suas exceções, mas só digo o rapper que sobe no palco e diz "ai jão nóis é que somos a rua, nóis é que faiz o rap de verdade na porra do bagulho" te cobrou 30,40 conto no ingresso, te vendeu uma bombeta por 100 conto, camisa por 80 e etc. (não estou dizendo que é errado, sou favorável de ganhar dinheiro, estou só passando uma visão)
Mano rap de verdade não existe!! existe a verdade que você poe no seu rap! e compromisso..?? procure ser útil pro rap e pra cultura hip hop fortalecendo a cultura, sabe como..? não é chamando mc de vendido é indo no show do grupo que você gosta, é comprando o cd do seu MC favorito , e o mais importante absorvendo o que a de bom nas letras de rap,pois eu garanto que nas letras do seu rapper favorito não te ensina ser intolerante.

E pra terminar deixou uma frase do Brown no Documentário "O rap pelo rap.

"O Mano Brown não é verdade absoluta e o Racionais nunca foi a verdade absoluta, nunca será, não existe verdade absoluta, não existe profeta!



É a fusão de São Paulo com a Paraiba

“Sacal & Pump Killa Vol 1″ é o trabalho que une dois dos grandes nomes do Ragga Nacional.
 
Foi em meados de 2013, na Zona Norte de São Paulo, que a dupla se formou. Essa identificação vem desde o ano de 2007, quando gravaram juntos a faixa “Pânico”. Desde então o elo ficou mais forte e as idéias cada vez mais maduras.
Na Mixtape “Sacal & Pumpkilla – Vol. 1″ o Dancehall do Brasil é projetado numa mistura de dialetos, ritmos e melodias com influências vindas desde o interior de São Paulo até o litoral da Paraíba.
Essa mistura nos dá de presente um dos melhores trabalhos já lançados na cultura RAGGABR.

Segue abaixo ficha técnica dos dois Ragga Man:
Nome…………….Pump Killa
Cidade…………..São José do Rio Preto-SP
Disco……………Ragga Fogo (2009)
Habilidades:
Grave……………43%
Melódico…………81%
Speedflow………..89%

Nome…………….Sacal
Cidade…………..João Pessoa-PB
Disco……………Gangsta Jegue (2008)
Habilidades:
Grave……………83%
Melódico…………44%
Speedflow………..86%



Selo Coka Music apresenta o primeiro episódio do projeto The Cypher, trazendo as rimas dos MC’s Efi, Lil Biic, Raphe Rap e Jan King.
O vídeo foi dirigido por Ldias (Dunamis Filmes).
Os scratches ficam por conta de Duck Jam (Nação Hip Hop).
Sobre o projeto o rapper Jan King deixa claro que já está trabalhando no The Cypher 2.0. 

A Outro Nível Label lança o projecto «Na Via Vo.1 (Boko Haram)» do Dj Lader que conta com as participações de H Flow, Lil Chock, Adilson Mc, Black Devil, Kriminous, Pilot West & Gold G. 
Este projecto será lançado progressivamente até que o mentor decida termina-lo e contará com as mais diversas participações.


Artista : Dj Lader
Projecto : Na Via Vol.1 (Boko Haram)
Género : Hip Hop / Rap
Label : Outro Nível




O grupo de rap sã-Consciência é mais uma cria das ruas da cidade de Goiânia. 
Formado por:  Gusthavo Crispim (MC Chaveiro), Erick Avelar (MC Erock), Otavio Vidal (MC Vidal)
, Sergio Lucas (DJ Big Sã). O grupo teve seus trabalhos iniciado em 2012 e recentemente o grupo 
lançou o video clip da música "Cicatrizes" com participação de Aline Fernandes. Essa é mais uma track que faz parte do álbum 
“Loucos Santos Delinquentes” que está em processo de finalização vem sendo produzido por 
Pamonha Beats que é produtor musical do grupo tendo como realização de Cápsula Crew (selo/produtora independente que agência o grupo)

Confira o videoclipe de “Cicatrizes”, que tem a participação de Aline Fernandes e produção musical por Pamonha Beats. 
O clipe tem direção de Dilan Furia.



Siga o grupo pelas Redes Sociais:

Facebook:  https://www.facebook.com/SaConsciencia
Twitter: https://twitter.com/Sa_Consciencia
Instagram: https://www.instagram.com/saconsciencia/
Youtube: https://www.youtube.com/user/SaConsciencia

Telefone de contato: 062 9447 9568












segunda-feira, 21 de dezembro de 2015



O projeto tem 18 faixas com participações de Aaliyah, Young Thug Mila J, Tink, Yo Gotti, 2 Chainz, Rich Homie Quan, Bankroll, Migos e muito mais. Produção fica por conta de Timbo, Milli, Strato e Kaui.


01. Get No Betta (feat. Timbaland & Mila J) (Co-Prod. Kaui)
02. Shakin (feat. Aaliyah & Timbaland) (Co-Prod. Strato)
03. Dem Jean (feat. Migos) (Co-Prod. Milli)
04. Frenemies (feat. Tink & Syari) (Co-Prod. Fade Major)
05. Tables Turn (feat. Obsessed & Tink) (Co-Prod. Fade Major)
06. Servin (feat. Blaze & Tweezie) (Co-Prod. Milli)
07. Smile on Yo Face (feat. Yo Gotti) (Co-Prod. Milli)
08. Didn’t Do It (feat. Young Thug) (Co-Prod. Milli)
09. Callin and Callin (feat. Young Crazy & Breeze Barker) (Co-Prod. Milli)
10. Where You At? (feat. Blaze Serving) (Co-Prod. Milli)
11. Shawty (feat. Rich Homie Quan) (Co-Prod. Milli)
12. This Me, Fuck It (feat. 2 Chainz) (Co-Prod. Milli)
13. All I See Is You (feat. Sequence)
14. Drama Queen (feat. Tink) (Co-Prod. Milli)
15. Go Ahead (Boo Boo Kitty) (feat. Wedding Crashers, Goldy & Cynthia) (Prod. Milli)
16. Drug Dealer (feat. Rico Richie) (Prod. Milli)
17. You Head It Down (feat. Bankroll & Obsessed) (Prod. Milli)
18. On Tha Way (feat. Meechie)


Com a proposta de desvendar porque os "Sonhos acabam na melhor parte", VNS Vinyll está de volta com seu novo videoclipe.

O MC da zona sul de SP, conhecido por suas batalhas na Liga Nocaute, está preparando seu álbum "Bomba Caseira" com previsão de lançamento para abril de 2016, e esse é o primeiro single do projeto.

Com direção e roteiro de Thays Jacinto, e o Helibrown entre as participações, confira mais uma produção totalmente caseira e independente do selo "Gambiarra Recordz"

domingo, 20 de dezembro de 2015

"Isto que você ouve nem é rap", "Eu só ouço rap de verdade', "Rap é compromisso", estas frases talvez sejam as mais ditas no rap brasileiro de uns tempos pra cá.

Por Anderson Hebreu


De alguns anos pra cá estas frases tem sido usadas demasiadamente pelos fãs do rap gangsta, pois na mente de alguns deles o único rap que representa a favela é o gangsta, pois só eles que batem de frente com sistema e seus ídolos não estão no rap por dinheiro. (Abraçaaa!!)

Primeiro quero deixa bem explicado, eu sou fã do gangsta rap, mesmo não concordado com a postura de alguns rappers em relação aos rappers de outros sub-generos, minha critica é direcionado a alguns fã do gangsta rap.
 O que me incomoda e incomoda a muitos, é este racha um quase apartheid criador por eles dentro do rap,alguns fãs do gangsta rap são meio extremistas quase separatistas, pois só o que ele curte presta e só o tipo de rap dele é o que fala as verdades e bate de frente com o sistema, ou seja o resto não é rap,no meu ver isto não passa de pura ignorância da parte deles, sim esta é a palavra ignorância, não no sentido de burro, e sim no sentido de não parar para ouvir outro tipo de rap com uma batida diferente quem tem as mesmas ou até mais ideia que o gangsta, pois no meu ver o rap chamado de underground tem um alto teor lirico.


Porem para eles o rap gangsta que é o verdadeiro rap.
Mas peraiiii o que veio primeiro o Gangsta ou rap..? claro que o rap veio antes né parças!!!

O fã do gangsta rap precisa estudar melhor a origem do rap, saber que ele surgiu de uma mistura, o rap em si já é misturado, por tanto se ele mistura com reggae,samba,rock ele não deixa de ser rap.
E como todos sabem,e eu espero que saibam mesmo que RAP significa Ritmo e Poesia, e poesia é livre, você pode falar do assunto que quiser.

Mas então o que é rap de verdade..??

Gangsta,underground,trap,jazzrap ou qualquer outro subgênero não é "rap de verdade", não existe rap de verdade, existe a verdade que você poe no seu rap, todo rap que é feito com amor, trabalho e dedicação é de verdade, seja ele para contestar o sistema, para animar as pessoas, ou simplesmente para dançar, para confrontar o racismo,sexismos ou qualquer tipo de preconceito.

Antes de eu criar o Noticiário Periférico e ele ter se tornado um veiculo onde grupo novos enviam seus materiais para divulgação e também ter ser tornado um site conceituado, eu tinha a mente muito fechada achava que o rap não tinha que ir na TV, que o rap não era som pra dançar a não ser que fosse break, que eu não podia curte os mano que pinta o cabelo amarelo, que é normal ser machista no rap.. eu reproduzia muita coisa errada..eu tinha uma visão que o rap tinha que ficar preso no gueto, e por morar em São Paulo muitas vezes nos condicionamos a ser bairrista, achamos que só no nosso rap presta.

Porem quando eu passei a receber muito material de artistas novos e bons eu pensei,carai existe um mundo alem do gangsta rap (não que eu não ouvia outros tipos de rap eu não tinha noção destas divisões de rap e eu tinha este preconceito dentro de min), eu passei a ouvir todo tipo de rap sem medo do que os outros iriam dizer ou me chamar, como costumam dizer que sou modinha, ou que não ouço "rap de verdade", eu passei encontrar mensagens loucas ideias revolucionarias e mensagens diversas nestes artistas que não são ouvidos pela maioria do publico.


Rap é compromisso ..? claro, mas até onde vai o seu compromisso com o rap..?

Você já se perguntou o que é compromisso no rap...? quando o sabota disse e eternizou esta frase, ele nunca disse esta frase usando o contexto que ter compromisso com o rap era não ganhar dinheiro com sua musica, o compromisso era com a verdade, e não a verdade A ou B, e sim a verdade que você acredita, a verdade que você quer passar na sua musica.
Mano hoje em dia eu dou mais valor num rap que passa umas ideias consciente com positividade, eu estou cansado de só, eu disse só ok..? estou cansado de só ter rap com historia triste, eu acredito que as letras de rap também tem que passar uma perspectiva de vida positiva de isentivos, taligado..?
Como disse o Sabotage "Se eu for falar só de sofrimento, meu tempo não da, olha só ao meu redor" (entrevista dada na favela do canão).
Uma das letra que marcaram minha adolescência foi a musica "Eu não pedi pra nascer" do facção central, a historia desta musica é triste pra carai, a primeira vez que ouvi eu choverei carai.. musica triste pra carai, e eu acredito que este tipo de musica é necessário, mas não só este, tem momentos que nós já estamos pra baixo e queremos ouvi algo mais alegre, algo positivo, ai que entra grupos como Doctors Mcs,Ndee Naldinho no seu começo de carreira, Thaide e Dj Hum com a musica "Senhor Tempo Bom" SP Funk,Pentagono,Emicida,Negra Li, e por ai vai... o rap sempre teve os dois lados da moedas, ou melhor o rap sempre teve vários lados tipo um cubo magico.



E outra fita que me incomoda, são os fãs cobrarem compromisso dos Mc's, mas e você ja parou pra pensar..... em que eu contribuo com o rap..? eu compro cd..? eu vou em shows..? eu sou participativo na cultura..? eu sigo os "ensinamentos" que tem nas musicas..? e etc.
Antes nós cobrarmos algo que eu acho errado cobrar mc, nos temos que ver se nós somos exemplo para ficar cobrando ou julgando o outro.
Muitos fãs adoram arrotar a frase do MV BILL "só deus pode me julgar", mas vivi na internet de zé povinhage, falando da vida do MC, que rapper tal fez isto, que rapper tal gravou com fulano.
Você que faz isto não tem compromisso nenhum com rap, só tem compromisso com a zé povinhagem!

O publico do rap anda sabotando o próprio rap, pois se ele não gosta de um determinado rapper ou musica ele ja diz que não é rap, ele ridiculariza na internet e o pior que vejo pagina de rap no facebook, compactuando com esta onda, as pessoas que tem estas pagina não tem noção da arma que é um meio de comunicação com mais de 10 mil seguidores no facebook, estou falando 10, mas estas pagina tem mais de 30 mil seguidores, isto viraliza e no meu ver isto esta "minando" o rap, pois enfraquece a estrutura da cultura. 

Acabei de ver o documentário "O rap pelo rap" dirigido pelo mano Pedro Favero e o documentário começa com um discurso do Mano Brown e ele diz "Profeta mc ..? não existe meu parceiro,não abraça, todos querem a mesma coisa,raça infeliz, mc's, seres humanos com um microfone na mão,vaidosos por natureza, cuidado com eles"

Achou ofensivo né parça..??? mas é a realidade ladrão, ser humano quer dinheiro, MC não é diferente, claro que existe exceções, não irei citar nomes cada um que escolha suas exceções, mas só digo o rapper que sobe no palco e diz "ai jão nóis é que somos a rua, nóis é que faiz o rap de verdade na porra do bagulho" te cobrou 30,40 conto no ingresso, te vendeu uma bombeta por 100 conto camisa por 80 e etc. (não estou dizendo que é errado estou só passando uma visão)
Mano rap de verdade não existe!! existe a verdade que você poe no seu rap! e compromisso..?? procure ser útil pro rap e pra cultura hip hop fortalecendo a cultura, sabe como..? não é chamando mc de vendido é indo no show do grupo que você gosta, é comprando o cd do seu MC favorito , e o mais importante absorvendo o que a de bom nas letras de rap,pois eu garanto que nas letras do seu rapper favorito não te ensina ser intolerante.

E pra terminar deixou uma frase do Brown no Documentario "O rap pelo rap.

"O Mano Brown não é verdade absoluta e o Racionais nunca foi a verdade absoluta, nunca será, não existe verdade absoluta, não existe profeta!


O Noticiário Periférico a alguns anos tem um quadro de entrevista chamado "Opinião Periférica" onde eu Anderson Hebreu entrevisto pessoas comuns, ligadas ao rap, a movimentos sociais e negro.
Ano passado no mês da consciência negra fiz uma edição especial onde entrevistei 3 pessoas, falando sobre negritude,racismo,politica e musica claro. Nesta ano não foi diferente, 4 pessoas falando sobre temas recorrentes de seu cotidiano e do povo negro.



ENTREVISTA - Opinião Periférica com a blogueira e estudante de direito Stéphanie de Araújo


A primeira entrevistada do quandro "Opinião Periférica", especial Novembro Preto, é a jovem,Blogueira e estudante de direto Sthepanie Araújo.
Nesta entrevista foi abordado temas cotidianos,racismo, questões étnicas dentre outras.










ENTREVISTA - Opinião Periférica com a jovem Ana Calheiro 


Ana Calheiro é uma mulher negra e assumidamente negra,feminista,bem humorada,engraçada,politizada,futura professora de biologia,amante da musica negra,casada com a paçoca..rsrs e não tenha duvida que ela é demais pro nosso quintal!






ENTREVISTA - Opinião Periférica com o jovem MC Delatorvi

O entrevistado de hoje é com o jovem mc mineiro Vitor Hugo, nesta entrevista o mano fala de sua influencia e visão sobre o Funk, sobre os problemas étnicos e políticos de nosso pais e outras fitas.
Resumindo a entrevista "A Juventude negra ainda tem voz e mente ativa"



ENTREVISTA - 
Opinião Periférica com o jovem  Ibu Lucas 

Tem uma guerra aí fora pra quem tem a pele como a minha e pra quem vem da onde eu venho, ta ligado?

Trutas eu nem sei o que falar sobre este moleque no bom sentido da palavra claro, pois suas ideias e atitudes são de homem, sabe aqueles moleque que a vida e a mãe do lado faz virar homem cedo..? este é Ibu Lucas
Serio mesmo me falta adjetivo pra descreve-lo, mas eu posso dizer que o Lucas é o moleque que eu queria ser com 18 anos, e não é inveja a palavra é orgulho que eu tenho deste moleque,simplesmente conheça um pouco lucas,dos seus corres pela quebrada,nosso povo e sua mãe.