segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Esta é pra você periférico do rap: Na duvida, siga sempre na esquerda!

Public Enemy - "Rap deve sempre ter um conteúdo político, porque deve estar ligado aos problemas das pessoas. Eu escolho a cultura sobre a retórica de nossos governantes"

Não aceno bandeira, não colo adesivo, não tenho partido, odeio político. A única campanha que eu faço é pelo ensino e pro meu povo se manter vivo.




Esta é mais uma daquelas frases do Facção Central que todo faccionário adora reproduzir.
Em todo ano eleitoral escutamos ou lemos nos grupos de rap esta frase.



Esta frase é de impacto, mas tem problemas. 


O Dum Dum pontua que não levanta bandeira de partido, não faz campanha, não tem partido e odeia político, certo? Mas ele finaliza que sua campanha é pelo ensino e pro povo se manter vivo. 

As ideias não conjuminam, sabe por que?



Vivemos num país democrático no qual votamos para representantes: municipais, estaduais e federais. 

Nosso sistema político é dividido em diversos partidos com ideologias de esquerda, direita e centro. 
Eu poderia dizer que é uma frase irresponsável, porque através de frases e pensamentos como este, se criou uma legião de pessoas do rap e da periferia que não gostam de política. 
Mas analisando friamente, esta frase vem de uma descrença total de nosso sistema político, já que a maioria dos políticos só vão nas favelas para pedir voto.



Para ter um ensino de qualidade passa pelo voto e uma segurança pública com tratamento igual para todos, também passa pelo voto. Não tem como lutar por educação e segurança odiando tudo isto. 


Já que nós do rap e da periferia temos que ficar atentos na política. 



Como saber de que lado nós ficamos? 



Primeiro, se você é do rap tem que saber que a faísca que dá a origem ao Hip Hop, se deve ao fato do Joseph MPA,membro dos Pantera Negra (Black Panther Party), dizer para o Yelow Benji, líder da maior gangue de Nova York (Ghetto Brothers), que as guerras de gangue tinham que parar, porque eles não eram inimigos, mas sim, o sistema. Este sim era Inimigo.

Joseph MPA (Ex-Membro do Black Panther Party)

Vale ressaltar que o Black Panther Party era um Partido Negro de autodefesa, contra o racismo e fascismo (com viés progressista de esquerda). 

Faziam trabalhos comunitários em suas quebradas, que iam desde a segurança de bairros, café da manhã e reforços escolares. 
No Brasil, além de absorver esta essência que veio do EUA, nossos problemas sociais foram um catalizador para bons e fortes discursos anti-sistema e contra quem estivesse no poder. 

Porém certos discursos só ficam daora numa letra de rap, não estou dizendo que rap é ficção, jamais! 

Frases como a do Facção Central citado a cima, na pratica não funciona. 

Outra frase famosa no rap é: “Não sou esquerda nem direita, sou do lado do povo”. (Esta frase não é do Facção Central)

Frase foda, ne? Daria uma camisa bem loka!

Esta frase foi ganhando corpo com o tempo porque a esquerda ficou longe da classe trabalhadora.
Se quem mais precisa saber o que é esquerda, não sabe, óbvio que frases como esta ganha corpo e se espalha que nem fogo.

O discurso do Brown no palanque do PT, pode ser direcionado a maioria da esquerda brasileira. Pois a ausência dela na periferia, também ajuda na disseminação destas ideias.

O discurso do Brown foi exaltado pela direita por puro oportunismo e criticado pela esquerda por achar que não era o momento daquela critica.

Mas o discurso o rapper que ainda é ligado a periferia, só exemplificou como a esquerda se afastou das favelas de modo que não se identificou uma mensagem tão simples do Brown.



Mente vazia é oficina da direita, tá ligado? 


Pra quem ainda não sabe vamos entender a diferença entre Direita e Esquerda. 


Direita é uma palavra usada para representar um posicionamento político, partidário e ideológico. De acordo com o conceito das Ciências Políticas o posicionamento político de direita é marcado por características mais conservadoras em relação a aspectos sociais e de governo. 
Quando uma pessoa se identifica com a ideologia política de direita ela costuma dar prioridade aos direitos individuais em relação aos direitos coletivos. Também é comum que considere valores religiosos e tradicionais como fundamentais para a sociedade.



Origem da direita no cenário político 


Para entender melhor a origem do conceito de direita na política é necessário entender o que aconteceu na época da Revolução Francesa, no final do século XVIII. 
O termo direita era usado para se referir ao grupo de parlamentares que sentava ao lado direito do presidente da Assembleia Nacional, enquanto elaboravam as leis que iriam reger a República. Esses políticos defendiam ideais e leis mais conservadoras e tradicionalistas. 

Essa forma de organização acontecia em confronto com os políticos que sentavam à esquerda na Assembleia, que defendiam propostas políticas mais radicais, que buscavam mudanças na sociedade e defendiam interesses de grupos mais populares. 


Foi a partir desta configuração que as ideias políticas diferentes passaram a ser associadas aos termos direita ou esquerda. Os termos começaram a ser usados para definir a preferência política de cada pessoa: como conservador ou revolucionário.



Esquerda é o termo usado para denominar um posicionamento político, partidário e ideológico que tem como principal objetivo a defesa de interesses de grupos sociais e de igualitarismo. 

Do ponto de vista político, quando se diz que uma pessoa é de esquerda significa que esta concorda e compactua com os posicionamentos ideológicos deste espectro político. 
A ideologia política de esquerda defende que o controle feito Estado, através dos seus governos, é a solução para que exista igualdade entre os cidadãos. 
De acordo com essa ideia o Estado deve ser o responsável por controlar o funcionamento de vários setores da sociedade, além de ser responsável por proporcionar educação, saúde, trabalho e outros direitos básicos aos cidadãos. 
A ideologia de esquerda defende, principalmente, as classes sociais menos favorecidas na sociedade, ou seja, aquelas que necessitam de mais atenção e serviços públicos. 



Os grupos de esquerda também são conhecidos por apoiarem sistemas de reformas sociais, como o socialismo.


Origem da esquerda no cenário político 


A origem do termo “esquerda”, como um posicionamento político-ideológico, surgiu durante as Assembleias Constituintes francesas do século XVIII. 
Nessas sessões, havia a clara separação entre os grupos burgueses e conservadores, que sentavam do lado direito na Assembleia, por não gostarem da participação dos grupos populares. As pessoas que pertenciam às classes mais humildes, e que eram adeptas do revolucionismo, ficavam do lado esquerdo da sala. 
A partir deste cenário, o termo “esquerda” passou a simbolizar o ideal de luta pelos direitos populares e pelos trabalhadores e a “direita” virou sinônimo de conservadorismo e elitismo. 






Entendeu a diferença? 


É mais seguro e racional, pobre, negro, mulher e gay ficarem em grupos que pregam e prezam por igualdade e equidade. 
Todos estes grupos citados, sempre pensaram no coletivo, que o certo é que todos tenham condições, direitos e deveres iguais. 
Se não houver o Estado que controle tudo ou pelo menos as coisas mais importantes, nós da classe trabalhadora e dos grupos citados acima ficamos desprotegidos. 



Por exemplo: Na hora de votar numa reforma trabalhista ou previdenciária, se não houver uma esquerda forte, pautas como estas vão ser votadas com textos que beneficiam a classe burguesa e rica. 

O Hip Hop sempre pregou igualdade, ele sempre lutou contra opressão, não faz sentido nenhum apoiar opressor. 

As cartas estão na mesa e todos tem que saber jogar este jogo chamado “Politica”. 

Vou usar um exemplo pratico e recente.

O Jair Bolsonaro foi eleito presidente com 40% de votos de pessoas apitas a votar, ou seja, 60% das pessoas não votaram no Bolsonaro. (Só pra deixar claro, 60% das pessoas votaram Nulo, Branco, não compareceram ou votaram no Haddad). 



Este numero equivale a 30 milhões de pessoas aptas a votar que não foram.
Em 1994, o numero de abstenção foi de 29,3%, nesta eleição foi eleito Fernando Henrique Cardoso (PSDB), o presidente que ficou conhecido pela criação do plano Real, mas também pelo alto desemprego e de sua politica "entreguista", privatizou tudo que pode.

Se quisermos igualdade, se quisermos um sistema de saúde bom, segurança de qualidade, cultura para todos, moradia pra quem precisa, terra para plantio pra quem precisa e etc, temos que votar em partidos e políticos que pensam em prol do coletivo, ou seja, partidos com viés de esquerda. 

Fiquemos atentos e políticos com politicas e proposta que nos beneficie.