sexta-feira, 30 de dezembro de 2016


Eu nunca sei como começar os textos..kkkkk
Eu sou um cara que ama o rap, eu respiro rap e tento viver o rap. 
Então quando ouço um álbum ou uma musica eu ja fica listando os meus favoritos, nunca os melhores pois não me considero um critico musical, mas sim um cara que escuta rap e gosta de compartilhar coisas boas.
Quero deixa bem escuro, não é um lista das melhores musica, não é uma analise critica, são as musica que mais me agradaram, talvez pra mim seja as melhores, mas não tive esta pretenção, quis mesmo compartilhar meu gosto musical. Sabe aquelas musica que arrepia e te faz fazer cara de nojo..? então são estas!


O Neto do Sintese é um cara que eu sempre parei pra ouvir suas ideias e entrevistas, mas não curtia as musicas por não consegui entender as letras. Mas o álbum "Trilha para o Desencanto da Ilusão, Vol 1: "AMEM" . me agradou bastante.

A musica que me agradou bastante foi a "Giramundo"

"Onde escorre lagrimas existe vida"



Yas Werneck, jovem MC carioca que neste ano lançou seu EP de 6 faixas que se chama "Hexagonal", que inclusive já foi indicado por nós como um dos 7 trampos mais foda de 2016.
E recentemente a Yas Werneck lançou o clipe da musica "Coméki", musica com produção do Alex cabelo que arregaçou num trap funk!

"Fala e fala e nada faz, coméki..?"


O Rincon Sapiência vulgo Manicongo sempre lançou trampos fodas, porem o rapper vem buscando que seu som tem um identidade africana. Em maio deste ano o Rincon lançou a musica "A coisa ta preta", dando um sentido positivo a esta expressão que no passado e até hoje é usado pejorativamente.

"Se eu falar que a coisa ta preta, a coisa ta boa"



Issa Paz e Sara Donato, neste ano lançaram o álbum "Rap Plus Size", como eu ja disse em outro post, não é atoa que na capa do álbum tem uma bigorna porque o som das mina é pesado!. É um som bem lucido,acido, contundente, é um soco na boca do estomago.

Eu sou fã das 2 em seus trampos solo, foi difícil escolher uma deste álbum, mas escolhi a faixa "De mais pro seu quintal" alem dela ser dahora tem a participação de da Carol (Souto MC)  que eu acredito que ainda vai da trabalho no rap.



O Nego E é aquele rapper que eu sempre vi meus amigos falar bem mais ainda não tinha escutado, dai fui ouvir o álbum "Oceano", um puta álbum!!
Mas a musica "Melaço" me chamou atenção pois eu já tinha escutado, esta musica é gostosa de mais de ouvir..

"Quantas cores eu vejo no teu olhar, ao teu lado eu quero estar, eu e voce de frente pro mar, ao meu lado é o teu lugar"



Luccas Carlos é um rapper carioca bonzão tiu!. Ele rima, canta te em um flow bem foda.
A primeira vez que conheci o trampo dele foi no programa Flow do canal Whoo.

A musica "Lady" foi lançada em agosto e tem participação de um dos rapper carioca mais requisitado e escutado no rio de janeiro, o rapper  BK do grupo Nectar.

A musica Lady é um trap romântico leve, suave



Se tem um mano que eu admiro no rap é o Marcelo Gugu, não que eu não admire outros.
Mas o trampo dele no rap e alem do rap me faz admira ele.

A musica "New Orleans" o rap fala sobre depressão, crises e etc. A musica tem participação das maravilhosas cantoras black: Srta Paola e Vanessa Jackson.



Esta "molecada" do Projeto Preto ainda esta no começo de sua caminhada no rap, mas eles vem com um proposta foda, com letras, anti: fascista, anti racista, anti nazista, anti homofóbica e qualquer tipo de preconceito.
A musica "Assim que os preto faz" é o som de estreia do grupo, os caras chegaram pesado nas ideias.

"Papel de policiais é nos tratar como marginais"



O Baco Exu do Blues quando lançou a musica "999" mostrou que é mais que um mc de diss, pois muitas acharam que depois do sulicidio ele ia sumir.. mas o Baco mostrou que tem um alto teor lirico.

"Morte aos padres que cometem Heresia em troca de ereção"



O álbum "Boogie naipe" todo é foda, porem esta musica "Nova Jerusalem" pra quem acredita na vida pós morte ela "bate feito tyson". Se você fechar os olhos ouvindo esta musica você viaja.




Todo mundo entrou em êxtase quando o álbum póstumo do Sabotage saiu.
A musica "Mosquito" não é inedita, mas esta versão da dupla "Tropkillaz ficou foda, até parece que o sabota rimou um beat de trap.



Musicalmente falando eu amo esta mulher. A musica "Das 3 as 6" foi a musica que mais tocou no meu celular com certeza!! Esta musica é loka e a voz da Alt Niss é de outro mundo cara!! procure o trampo desta mina se ainda não conhece.


Meio que eu acompanho a cena reggae/ragga/dancehall e sempre curti o trampo do Junior dread.
E neste ano ele lançou o album "Saiba viver"que é foda tem uma sonoridade muito boa, um album muito gostoso de ouvir. Mas a musica que me fez repetir varias vezes foi a musica "O menino", a letra desta musica é foda!!!

"O menino se perdeu e agora quer se salvar, o menino se perdeu e agora quem vai salvar"



Sulicidio foi a grande musica do ano sem duvida, antes de falar da musica quero deixar claro que condeno a parte em que o baco cita as pessoas soro positivo e meio que foi homofóbico também.

Mas a musica Sulicidio deu visibilidade aos rappers dos nordeste e os próprios mcs do nordeste se sentiram mais valorizados e se movimentaram.

"Nordeste não teste"



Delatorvi é um jovem MC de Minas Gerais, e neste ano de 2016 ele lançou a mixtape "Homem negro mundo branco" com varias musica foda, com engajamento politco e negro.
Mas a musica "ideais de ilusão" me chamou atenção pela letra e por ter um beat meio rap meio funk.



O Diomedes Chinaski não era desconhecido pra min, pois ja conhecia o trampo dele no Chave Mestra e seu trampo solo também. Tanto que os trampos do Diomedes sempre foi divulgado aqui no Noticiario Periferico.
Esta musica "Eleve o nivel" é muito bem elaborada, alem da habilidade lirica do Diomedes tem a participação do Atentado Naplm


Muitos dizem que o RZO não voltou, pelo fato do grupo aderir a moda do Trap.
Mas esta musica ela é aquela musica que fica na sua mente, porque o beat é foda, a letra é foda de facil entendimento.. e o refrão céloko!!



Luiz Lins é um mano do selo do Diomedes ele é pernambuco e busca uma sonoridade meio que R&B em seus sons. Esta musica "Enquanto a noite cai" com o Diomedes e o Gustto é loka de mais, ouvi muito!


Tatiana Bispo é uma das idealizadoras do projeto "Rimas e Melodias" que conta com participação de Mayra Maldjian (DJ), Alt Niss, Stephanie (do Simples), Drika Barbosa, Tassia Reis e Karol de Souza . E em meio a este projeto a Tatiana lançou o clipe da musica "Eu preciso ir".
É uma linda musica, um R&B muito gostoso de ouvir, ela tem uma voz linda.



Gosto dos trampos dos manos do Familia Madá antes deles estarem no DamassaClan. 
Eles sempre lançam trampos bem consistente.
A musica "Não pode não" que tem participação da Flora Matos, eu ouvi ela quase o dia todo no dia em que foi lançado.


O Rincon Sapiencia lançou a musica "Ponta de lança" em 26 de dezembro, mas desde que ele lançou eu ouço. Esta musica é incrível, ela tem um beat africano, com um leve toque de funk (carioca) e com uma pegada forte do Trap, claro que não é tudo ao mesmo tempo é uma variação. 

"Se a vida é um filme, meu deus é que nem Tarantino, eu to tipo Django."



O Vinicius Preto lançou o EP "Não me diga que esta tudo bem", um trampo dahora!! que esta entre os mais dahora que ouvi neste ano.
Mas a musica "Na Real" chamou minha atenção de mais, letra foda, beat e sample loko também

"Drogas é o pesadelo do mundo, jovens morrendo é um absurdo, tantas familias sofrida em luto"



Mano, se eu falar que eu não sou machista vou esta mentindo pois creio que todo homem é, mas existe níveis e tal..pois sempre respeitei as minas e os corres dela.  Estou no processo de desconstrução. Cara e esta musica da Dory de Oliveira é uma Pedrada na cabeça, a musica e o clipe "Delete nos Machista" é de outro mundo. A Dory é uma das mcs mais foda da cena paulista.


Max Souza e a Sarah Guedes são MCs de Minas Gerais, quando o Max me mandou este som para ser publicado no blog eu fiquei dias, alias meses ouvindo ela.. inclusive foi ouvindo esta musica que me fez ter a ideia de lançar uma coletânea só com musicas falando sobre o povo preto.



A faixa "Como estamos" do album "A coragem da luz" do Rashid é uma poesia fodida, em cima de um piano parecendo jazz. Só ouça!

"Seu elitismo é toxina, com 5 reais voce compra crack, ja um livro é de 30 pra cima"


Nunig é um dupla carioca foda! O álbum "Bonde do Jaguar" é um álbum com batidas Trap com altas referencia afro! A faixa NWA que tem participação do Marcão Baixada é a minha preferida.
Esta é aquele tipo de musica que de dar um up, um animo!

"Se os pretos for pra pista, vai ser tipo Mad Max.



"Gerade aus Hospicio" esta no album "Anti Heroi" do paulistano Scooby,  que é Mc e produtor um dos melhores de SP. Esta musica tem participação do DDH (Direto do Hospicio) que é formado pelo Mobb e o Baco. Se tiver coragem ouça! mas poe capacete carai!!


Perigo é a ultima faixa do EP "Outra Esfera" da Tassia Reis.
Que musica amigos que musica!!!!!!!!!!


A musica "Oh JAH" que tem participação do Adonai, não é de 2016, mas eu ouvi ela afundo no álbum "Evoluindo através dos tempos da Cris SNJ.
Esta musica tem uma mensagem bem positiva ouvi bastante.


O Rael não lança trampo ruim ou meia boca, ostrampos dele é sempre nos 8,9 ou 10. Esta musica "Minha lei" é foda!! E com a participação do OGI e do Massao e Apolo. Destaque pro clipe que tem "figuração de uma banca pesada do rap como Mano Brown,Criolo,Dandan, Projota, Thaide e varios outros.


quinta-feira, 29 de dezembro de 2016



‘MOTUMBÁ: EXISTÊNCIA E MEMÓRIAS NEGRAS’ – ANO COMEÇA COM DEBATES E OFICINAS DE DANÇA, MODA, LITERATURA,TECNOLOGIAS E ARTES DE RAÍZES AFRICANAS NO SESC BELENZINHO

Programação da mostra traz cursos gratuitos e bate-papos abertos ao público em janeiro


Se ser um cidadão mais participativo ou aprender novas habilidades artísticas está entre suas metas para 2017, fique atento ao calendário da mostra Motumbá - Memórias e Existências Negras para o primeiro mês do ano.

Se a ideia é conversar e debater sobre temas atuais, a mesa Cultura Marginal: Descentralização, Territorialidade e Quilombos Urbanos(Dia 17/01), parte da série Escambo de Ideias, propõe reflexões sobre a história e a cidade de São Paulo, os seus diversos mecanismos de exclusão social e os artistas marginais dentro deste contexto. A agenda de debates inclui também o bate-papo Representação, Empoderamento e Protagonismo da Mulher Preta nas Artes (31/01), da mesma série, com foco nas produções de artes cênicas e nos estereótipos reproduzidos pela grande mídia.

Já entre as oficinas, o segmento de Dança conta com as aulas de Forças da Natureza: "Passado, Presente, Futuro" (de 13 a 15/01)ministradas pelo coreógrafo americano Clyde Morgan, que trará poemas, desenhos e esculturas como estímulos criativos, incentivando os participantes a examinarem as energias e potências renovadoras e da herança Afro-Brasileira.
O estilo Jongo, dança brasileira de origem africana praticada ao som de tambores, não poderia ficar de fora. E para isso, serão organizadas duas oficinas. Causos e Passos do Jongo (15/01), com Jociara Souza, e Jogue esse Jongo (29/01), com a comunidade Dito Ribeiro, de Campinas.

Dança urbana carioca que virou febre entre os jovens do Brasil inteiro, a Oficina de Passinho (28/01) oferecerá uma aula para representantes de todas as idades, sendo ministrada por ninguém menos que os dançarinos do espetáculo Suave, que também vai ao palco entre os dias 27 e 29, como parte da programação de dança da Motumbá

Até mesmo os entusiastas da moda serão contemplados com as oficinas. Dona Jacira Oliveira comandará as Experimentações Têxteis (10 a 31/01), em quatro encontros que incentivam a criação com tecidos. Já Estéticas afro-brasileiras: como contamos nossas histórias através da vestimentas (12/01 a 2/02), ministrada pela estilista Hanayrá Negreiros, combina práticas e conversas sobre as várias estéticas negras presentes no Brasil.

Com o objetivo de compartilhar os processos de criação do NEGA - Núcleo Experimental de Arte Negra e Tecnologia, de Belo Horizonte, Gil Amâncio e Gabriela Guerra encabeçam as aulas Imersão no Ciberterreiro (31/01 a 5/02) num ambiente inter-mídia que combina a cultura africana,improvisação, além da criação de narrativas sonoras, visuais e coreográficas de tecnologias digitais.

No segmento de Literatura, o Sarau da Kambinda (11/01) é, na verdade, um bate-papo que traz a artista Raquel Trindade e sua família evidenciando o Legado de Solano Trindade com muitas histórias, poesias e música. E, como o próprio nome diz, A Valorização da Oralidade nas Culturas Africanas e Afro-brasileira (11 e 13/1) será uma oficina em que Kiusam de Oliveira reflete os aspectos fundamentais das contações de histórias de modo tradicional, tendo corpo e voz como instrumentos.

Realizada desde novembro, a mostra Motumbá - Memórias e Existências Negras integra diversas linguagens artísticas e ações culturais para apresentar um panorama das poéticas, estéticas e temáticas produzidas e interpretadas por grupos e artistas negros ou periféricos. Até março, ele reúne no Sesc Belenzinho apresentações de teatro, dança, música e literatura, entre outros gêneros artísticos. 
-----------------------

Abaixo, mais detalhes sobre os artistas e a programação de Oficinas e Bate-papos que a mostra Motumbá preparou para janeiro:

OFICINAS DE ARTES VISUAIS

EXPERIMENTAÇÕES TÊXTEIS
com Dona Jacira Oliveira
Elementos mágicos como linha, agulha, tesoura e muita sensibilidade, farão seus papéis direcionados por suas mãos. Existe em nós uma vontade de beleza secular, que está oculta e pronta pra vir à tona. Vamos convidar a alma a falar e será uma festa, uma “kizumbadiaspóricatêxtil”. Serão costurados retalhos de velhos sonhos. Duração: 4 encontros.
De 10 a 31/1, terças, das 14h30 às 17h30
OFICINA I
Não recomendado para menores de 16 anos
Grátis - Início das inscrições: dia 05/01 (quinta) pessoalmente, a partir das 14h, no 1º pavimento.

ESTÉTICAS AFRO-BRASILEIRAS: COMO CONTAMOS NOSSAS HISTÓRIAS ATRAVÉS DA VESTIMENTA 
com Hanayrá Negreiros
O curso alinha a experiência prática e algumas conversas sobre as várias estéticas negras que habitam o Brasil, no intuito de olhar para um passado que não foi legitimado e ecoa em um presente que ainda por descobrir.
De 12/1 a 2/2, quintas, das 19h30 às 21h30
OFICINA III
Não recomendado para menores de 16 anos
Grátis - Início das inscrições: dia 05/01 (quinta) pessoalmente, a partir das 14h, no 1º pavimento.

OFICINAS DE DANÇA

FORÇAS DA NATUREZA: "PASSADO, PRESENTE, FUTURO" 
com Clyde Morgan
A oficina do coreógrafo americano Clyde Morgan consiste na continuação das pesquisas feitas por ele sobre os arquétipos Africanos, a continuidade e persistência das forças da natureza evidentes no mundo cosmológico e cotidiano do novo mundo. Na oficina serão utilizados poemas, desenhos e esculturas como estímulos criativos, incentivando os participantes a ver e examinar as energias e potências renovadoras e atuais da nossa herança Afro-Brasileira. A oficina Forças da Natureza: "Passado, Presente, Futuro", teve um bom êxito ministradas tanto em Nova York quanto na Bahia, com elencos completamente diferentes. Autocrítica e interações dinâmicas serão facilitadas por Clyde Morgan e seus assistentes.
Público Alvo: dançarinos (as), músicos (as), atletas e interessados em performance.
Inscrições: até dia 10 de janeiro, por meio de envio de currículo resumido para clydemorgan@belenzinho.sescsp.org.br 
Os candidatos selecionados serão avisados por e-mail até 11/01.
De 13 a 15/1, sexta a domingo, das 15h às 17h30
SALA  ESPETÁCULO II
Não recomendado para menores de 16 anos
Inscrição - Grátis / Grátis / Grátis

CAUSOS E PASSOS DO JONGO 
Troca de saberes e Vivência com Jociara Souza
Nesta atividade os participantes aprenderão os principais passos e ritmos tocados nesta dança, como também conhecerão um pouco da trajetória de mestres jongueiros e de Jociara Souza - dirigente do grupo de jongo Filhos da Semente, de Indaiatuba (SP).
Dia 15/1, domingo, das 14h30 às 16h30
EXPRESSÃO CORPORAL 2
Livre
Grátis - Entrega de senhas no local com 30 minutos de antecedência.

OFICINA DE PASSINHO
Com o Grupo Suave
Os dançarinos do espetáculo Suave oferecem oficina de passinho para o público de todas as idades. O passinho atualmente é uma explosão cultural na cidade do Rio de Janeiro, dos vídeos postados no Youtube, das Batalhas, das Dancinhas e do sucesso pop do grupo dream-team do passinho. Oriundo do funk carioca, o estilo pode ser considerado um dos primeiros estilos de dança urbana, genuinamente brasileiro. Ele surgiu em comunidades carentes na atual conjuntura pós-UPP, com a democratização ao acesso à internet e dos smartphones. O passinho é antropofágico, se apropria de diversos estilos (frevo, samba, hip-hop, gay dance style) para compor seu repertório de movimento e utiliza as ferramentas digitais de uma forma única e própria para sua disseminação.
Público: interessados em geral.
Inscrições: até dia 24 de janeiro, por meio de envio de currículo resumido para passinho@belenzinho.sescsp.org.br 
Os candidatos selecionados serão avisados por e-mail até 26/01.
Dia 28/1, sábado, das 15h às 18h30
SALAESPETÁCULO II
Livre

JOGUE ESSE JONGO 
Com a Comunidade Jongo Dito Ribeiro
Troca de saberes e vivência com a Comunidade Jongo Dito Ribeiro, de Campinas (SP). Também conhecido como Caxambu, o Jongo é uma forma de expressão que integra percussão de tambores, canto e dança de diversas formas e, dependendo da comunidade que o pratica, assegura a diversidade a valorização dos enigmas cantados e o elemento coreográfico. Nesta vivência os participantes podem conhecer a história da dança e o trabalho realizado na comunidade.
Dia 29/1, domingo, das 14h30 às 16h30
EXPRESSÃO CORPORAL 2
Livre
Grátis - Entrega de senhas no local com 30 minutos de antecedência.

OFICINAS DE LITERATURA

SARAU DA KAMBINDA 
O Sarau da Kambinda traz a artista Raquel Trindade em um bate papo com sua família evidenciando o Legado de Solano Trindade, com muitas histórias, poesias e música. Junto com Raquel Trindade estão seu filho Vitor da Trindade e seus netos Zinho Trindade, Marcelo Tomé, Manoel Trindade e Maria da Trindade transmitindo saberes, a beleza e o encanto da cultura afro-brasileira e muita alegria.
Dia 11/1, quarta, das 20h às 22h
COMEDORIA/APRESENTAÇÃO
Não recomendado para menores de 16 anos
Grátis - Sem retirada de ingressos.

A VALORIZAÇÃO DA ORALIDADE NAS CULTURAS AFRICANAS E AFRO-BRASILEIRA 
com Kiusam de Oliveira
Oficina que pretende ressaltar o valor e lugar da voz e a transmissão dos saberes ancestrais africanos, vozes femininas e masculinas, papeis, o corpo e a corporeidade, refletir sobre aspectos fundamentais das contações de histórias de modo tradicional (com corpo e voz como instrumentos e os próprios instrumentos na contação), bem como diferenciar griots e contadores de histórias. 
Dias 11 e 13/1, quarta e sexta, das 10h30 às 13h30
OFICINA III
Não recomendado para menores de 14 anos
Grátis - Início das inscrições: dia 05/01 (quinta) pessoalmente, a partir das 14h, no 1º pavimento.

OFICINAS DE ARTE E TECNOLOGIA

IMERSÃO NO CIBERTERREIRO 
com Gil Amâncio e Gabriela Guerra (NEGA - Núcleo Experimental de Arte Negra e Tecnologia)
A oficina propõe a imersão num ambiente inter-mídia tendo como base os procedimentos das artes e culturas que emergem no Atlântico Negro e seu diálogo com as tecnologias digitais de som e imagem. O objetivo é compartilhar com os participantes os processos de criação do Coletivo Black Horizonte e experimentar, a partir de exercícios de improvisação, a criação de narrativas sonoras, visuais e coreográficas.
De 31/1 a 3/2, terça a sexta, das 19h às 22h
Dias 4 e 5/2, sábado e domingo, das 14h às 18h
ETA
Não recomendado para menores de 16 anos
Grátis - Início das inscrições: dia 05/01 (quinta) pessoalmente, a partir das 14h, no 1º pavimento.

BATE-PAPOS

ESCAMBOS DE IDEIAS - CULTURA MARGINAL: DESCENTRALIZAÇÃO, TERRITORIALIDADE E QUILOMBOS URBANOS
Com Erminia Maricato Douglas Lesus e Aurélio Prates. Mediação: Juninho.
A mesa propõe pensar a cidade de São Paulo, seus territórios e espaços de resistências culturais. É uma oportunidade também de discutir a história da cidade e os diversos mecanismos de exclusão social e racial herdado por uma cultura eurocêntrica. No plano simbólico da produção cultural, o artista marginal é aquele que se encontra fora do eixo central legitimado, essa posição pode se dar por diversas formas, desde a estética, temática, poética e/ou vocabulário vivenciado pelo artista e/ou coletivo que subverte a lógica do sistema vigente até as condições históricas, políticas, econômicas e geográficas nas quais se encontram.
Dia 17/1, terça, das 20h às 21h45
OFICINA III
Livre
Grátis - Entrega de senhas no local com 30 minutos de antecedência.

Escambo de Ideias - Representação, Empoderamento e Protagonismo da Mulher Preta nas Artes
Com Cristiane Sobral + duas convidadas.
Com mediação de Sandra Campos, a mesa propõe refletir sobre a representação da mulher nas artes cênicas, com o propósito discutir o seu protagonismo nas diversas áreas que envolvem a produção de um espetáculo, desde a direção, a dramaturgia, a interpretação, a temática, o processo de criação, bem como, os estereótipos e personagens reproduzidos pela grande mídia.
Dia 31/1, terça, das 20h às 21h45
OFICINA III
Livre
Grátis - Entrega de senhas no local com 30 minutos de antecedência.

M O T U M B Á – Memórias e Existências Negras
Data: Até março de 2017
Local: Sesc Belenzinho  
Endereço: Rua Padre Adelino, 1000, Belenzinho, São Paulo (SP)
Agendamento de grupos: pelo email agendamento@belenzinho.sescsp.org.br  ou (11) 2076-9704. Atendimento das 10h às 17h.
Estacionamento: Credencial Plena - Primeira hora: R$ 4,50. Adicional por hora: R$ 1,50.
Outros - Primeira hora: R$ 10,00. Adicional por hora: R$ 2,50. Preço promocional para espetáculos – Credencial Plena:  R$ 5,50. Outros: 11,00.

Enquanto o Sarau da Kambinda promove o encontro de três gerações descendentes do artista e militante do Movimento Megro Solano Trindade, as mulheres do coletivo Pretas Peri mostram sua força criativa e contestadora


Família Trindade e as integrantes do coletivo de mulheres Pretas Peri
Já bateram os tambores para a contagem regressiva para início da nova programação de saraus que integram a mostra Motumbá - Memórias e Existências Negras em janeiro. O evento, que ocorre no Sesc Belenzinho desde novembro e segue até março de 2017, inicia o ano com nomes de destaque da manifestação artística livre em sua agenda de atividades gratuitas.

A primeira delas é o projeto Sarau da Kambinda (11/1), que agrega cultura e lazer. Histórias, poesias e música conduzem o público a um momento de vivência único por meio do contexto histórico das experiências e da vida de Solano Trindade (1908-1974), poeta, pintor e militante do Movimento Negro, e de toda a sua família.

Quem abre o evento é Raquel Trindade, filha de Solano, que cantará a música Carregadores de Piano. Na sequência, Zinho Trindade faz interpretação musical de um dos poemas de seu bisavô. Em seguida, um bate-papo com a família Trindade conduzido por Raquel com muita alegria e poesia. A atividade também apresentará músicas e poesias pelo filho de Raquel, Vitor da Trindade, que musicou os poemas de seu avô, além de mais performances de seus netos: o rapper Zinho, o percussionista Manoel Trindade, a cantora Maria da Trindade e o professor, administrador e produtor Marcelo Tomé.

Para fechar a agenda de saraus, um grupo de mulheres da nova escola de manifestações culturais periféricas estará presente em uma noite de muita arte. As meninas do Pretas Peri (18/1), coletivo responsável por uma série de ações relevantes na periferia de São Paulo, trarão o famoso sarau que promovem todo último domingo do mês no Itaim Paulista.

A poeta Jô Freitas, a dançarina Juliana de Jesus, a atriz e poeta Tayla Fernandes e a pedagoga Janaina Cintia abrirão seus microfones para intervenções artísticas e debates. O principal objetivo é valorizar e fortalecer a arte e as ideias que ainda estão à margem na sociedade.

A mostra Motumbá - Memórias e Existências Negras integra diversas linguagens artísticas e ações culturais com o objetivo de apresentar um panorama das poéticas, estéticas e temáticas produzidas e interpretadas por grupos e artistas negras, negros e periféricos. O evento segue até março no Sesc Belenzinho, com programação variada, oficinas, debates, apresentações de teatro, performance, dança, shows musicais, saraus literários e muito mais.




SOBRE O SARAU DA KAMBINDA

O Sarau da Kambinda traz a artista Raquel Trindade, a Kambinda, comendadora do Brasil na área cultural, em um bate-papo com sua família que evidencia o legado de Solano Trindade com muitas histórias, poesias e músicas. Com ela estão seu filho, Vitor da Trindade, e seus netos Zinho Trindade, Marcelo Tomé, Manoel Trindade e Maria da Trindade. Juntos, se propõem a transmitir saberes, a beleza e o encanto da cultura afro-brasileira.
Dia 11/1, quarta, das 20h às 22h
COMEDORIA/APRESENTAÇÃO
Não recomendado para menores de 16 anos
Grátis - Sem retirada de ingressos



SOBRE O COLETIVO PRETAS PERI

Pretas Peri é um coletivo de mulheres negras que desenvolvem diversas ações na periferia de São Paulo, como oficinas, debates e mostras artísticas. A principal delas é o Sarau Pretas Peri, que acontece todo último domingo do mês no Itaim Paulista, Zona Leste, com microfone aberto para intervenções artísticas e tem como proposta valorizar e fortalecer a arte periférica.Em cada sarau, artistas de diversas áreas de atuação são convidados a discutir questões como machismo e racismo e a compartilhar sua poesia.  Idealizado pela atriz e poeta Jô Freitas, o sarau conta com artistas residentes: a dançarina Juliana de Jesus, a atriz e poeta Tayla Fernandes e a pedagoga Janaina Cintia.
Dia 18/1, quarta, das 20h às 22h
COMEDORIA/APRESENTAÇÃO
Não recomendado para menores de 16 anos
Grátis - Sem retirada de ingressos


M O T U M B Á – Memórias e Existências Negras
Data: até março de 2017
Local: Sesc Belenzinho  
Endereço: Rua Padre Adelino, 1000, Belenzinho, São Paulo (SP)
Agendamento de grupos: pelo email agendamento@belenzinho.sescsp.org.br  ou (11) 2076-9704. Atendimento das 10h às 17h.
Estacionamento: Credencial Plena - Primeira hora: R$ 4,50. Adicional por hora: R$ 1,50.
Outros - Primeira hora: R$ 10,00. Adicional por hora: R$ 2,50. Preço promocional para espetáculos – Credencial Plena:  R$ 5,50.




O Rapper (Baiano) Alagoinhense  que mostrou mais versatilidade até Hoje no Game Para Mim sem demagogia foi ÉDER e nada mais justo nesse trabalho que mostra - la a vocês..
o Mc que já trabalhou com Produtores da Paraíba (Diego Yes) e Outros Grupos do interior de São Paulo , além do consolidado trabalho de compositor  demonstra seu talento na música R&B e Rap.
Éder foi brutalmente assassinado em Julho de 2016 porém sua música permanece viva até hoje em nossos corações.
Novo *Repaginado Trabalho do Mc Chamado "Recomeçando em 1 Novo Lugar" traz ensinamentos, romances, história e muita coisa boa pra ser sentida!


tive a honra de selecionar essas músicas em homenagem a Sua Mãe, Dona Ana e espero que vocês curtam do fundo do coração!


Liguem o Rádio! *A Faixa 1  (Liga o rádio) como ele pede na primeira música é um Medley de alguns dos maiores sucessos de ED+ (Lê se É DÊ MÁS) seguida por canções de sua primeira mixtape chamada "Esperança da última que Morre" além de faixas do Cd em parceria com Sinal chamado #NordesteCantAmor, a segunda faixa é chamada de Te Juro, uma introdução composta pelo Mc em meádos de 2011 , após medleys e cortes o Cd digital vem com  duas faixas inteiras que é Resplandecer e Nova Paixão onde ele mostra o dom de ser Poeta ao pé da letra, depois vem a quinta faixa chamada Não Desligue contendo mais um Medley dos outros sucessos(muitos ficaram de fora) que não são poucos pra mais tarde dar origem a três faixas fantásticas, peço desculpa pela qualidade da produção porém foi  o melhor a ser feito devido os áudios que foram gravados com equipamentos precários na época.


"Malandragem é viver "é o Segundo Single do disco,"A vida Não é " traz uma reflexão dos momentos vivenciados por Eder e "Falando de Amor" nada mais é que uma Declaraçao de amor a uma pessoa especial
que Deus o Tenha , essa é a minha homenagem a você!

Follow Us